Oi integra soluções fim a fim para o segmento agrícola


O projeto piloto da Oi  com o grupo agrícola  AMAGGI de internet das coisas, iniciado em abril deste ano,  avançará para fases mais robusta, disse hoje, 8, Paulo Victor Noronha, gerente de oferta TI Corporativo da operadora. O projeto está sendo conduzido na banda de 450 MHz na fazenda Tucunaré, a 500 Km de Cuiabá, no Mato Grosso.

Conforme Noronha, o segmento de agronegócios é, para a Oi, estratégico, e por isso, a empresa não quer apenas oferecer a conectividade, mas integrar soluções fim a fim. ” A Oi quer estar presente em toda a cadeia produtiva do cliente, seja nos negócios, na festão dos serviços, TI, telecomunicações ou data center”, afirmou. O executivo participou do Agrotic 2019, promovido pela Momento Editorial e Bit Social.

Satélite

Já Ademar Iwamoto, diretor comercial técnico da Arycom, assinalou que a tecnologia de satélite móvel oferecida por sua empresa pode ser uma parceira para as operadoras de celular, visto que, assinalou, há um grande percentual do território brasileiro que não terá outra alternativa de acesso a não ser com o apoio da rede de satélite. “O estado de São Paulo tem 20 por cento de seu território sem qualquer cobertura terrestre”, afirmou.

 

 

 

Anterior Vivo e Claro veem a faixa de 700 MHz como o vetor de crescimento da conectividade no campo
Próximos Vivo investe R$ 500 mil em start up de telemetria para agronegócio

Sem comentários

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *