Oi inaugura hub de empreendedorismo e inovação


TeleSintese-OI-HUB-OitoO hub de empreendedorismo e inovação da Oi, batizado Oito, que vai funcionar em parceria com empresas de tecnologia e centros de pesquisa, foi inaugurado hoje, 30, no Rio de Janeiro. O objetivo do novo espaço, localizado no bairro de Ipanema, é se tornar um centro de referência em inovação, contribuindo para a geração de novos negócios, desenvolvimento de soluções tecnológicas e digitais, aceleração de startups e suporte a negócios sociais. “Será um ambiente totalmente voltado para inovação, suporte ao empreendedorismo e também à economia criativa, que é uma das vocações do Rio de Janeiro”, afirma o presidente da Oi, Eurico Teles.

Paralelamente à inauguração do Oito, a Oi divulgou os 18 projetos selecionados, de 500 inscritos, para passar por um curto período de avaliação. Esses projetos já estão trabalhando no espaço sob a supervisão do Instituto Gênesis e do time Oi. Os seis que forem melhor avaliados receberão aporte de R$ 150 mil cada para se instalar no Oito e desenvolver seu negócio ao longo de 2018.

Parcerias

A Oi é a fundadora do Oito, mas o espaço vai funcionar no modelo de parceria e construção de rede com outras empresas e instituições. Entre os parceiros estão Nokia, IBM, Oracle, Amazon Web Services, CPqD, Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel), Senai, escritório Montaury Pimenta, Machado & Vieira Mello, Oi Futuro e Yunus Negócios Sociais Brasil. As soluções e produtos desenvolvidos no Oito terão o suporte da área de Inovação da Oi para serem testados e potencialmente adotados pela companhia, tanto para uso interno quanto para se tornarem parte do portfólio de soluções da empresa oferecido ao mercado.

O Oito será financiado pela Oi e desenvolvido em parceria com o Instituto Gênesis, instituto de empreendedorismo da PUC-Rio, que fará a coordenação técnica do projeto com a consultoria do empreendedor carioca Rafael Duton, sócio e fundador da aceleradora 21212. O modelo será inovador: além de mentorias e de espaço de trabalho, as startups terão apoio nas áreas gerencial, jurídica, financeira e de comunicação para estruturar o crescimento de seus negócios. O Oito atua em três frentes: aporte e apoio para o desenvolvimento de startups em estágio inicial; seleção de startups mais maduras para aceleração, com acesso à área de coworking e aos parceiros do Oito; e o IoT Lab, laboratório para desenvolvimento e teste de soluções de Internet das Coisas em parceria com a Nokia.

Aceleração e coworking

O Oito também terá espaço para empresas residentes, que dividirão o espaço de coworking com as selecionadas. Serão startups mais maduras, que vão se beneficiar da troca de experiências proporcionada pelo Oito e alugarão as posições de trabalho a valores subsidiados, abaixo da média do mercado. Elas também serão selecionadas a partir de propostas enviadas pelo site www.oito.net.br.

A área de coworking do Oito abrigará um andar com 78 posições de trabalho: 68 para empresas selecionadas, residentes e negócios sociais e mais dez assentos para convidados, que poderão ser ocupados de forma rotativa. O objetivo é criar um ambiente estimulante para as empresas, com a infraestrutura necessária para as startups. O Oito investirá ainda em aceleração tecnológica, por meio do laboratório de testes e soluções de Internet das Coisas, criado pela Oi em parceria com a Nokia. Toda essa estrutura, localizada no Leme, no Rio de Janeiro, poderá ser usada por desenvolvedores das empresas selecionadas além de também estar aberto ao mercado.

Integração cultural

Outro diferencial do Oito será a presença do Oi Futuro, instituto de responsabilidade social da Oi, por meio do Labora, laboratório de inovação social, e do Labsônica, laboratório de experimentação sonora. Projetos de novos negócios sociais acelerados pelo Labora, através de parceria com a Yunus Negócios Sociais Brasil, terão até dez posições de trabalho no Oito, garantindo interação com as startups incubadas. Dois projetos do Labora já serão instalados no Oito: 818 Energia Solar e Diáspora Black.

Já o Labsônica, iniciativa também do Oi Futuro, vai liderar a curadoria da programação cultural com experimentações artísticas na área multiuso, fomentando a circulação de pessoas e ideias criativas no Oito. A área multiuso vai receber atividades diversas tais como cursos, seminários, hackatons, demo days, lançamentos e meetups. Os eventos poderão ser organizados pela Oi e também pelos parceiros.

Projetos em avaliação

1.       Allugator (MG): Plataforma de aluguel de produtos diversos.

2.       Banco Maré (RJ). Solução de pagamento para o público não bancarizado.

3.       Cíngulo (RS): Aplicativo de suporte/desenvolvimento emocional e agendamento de consultas psicológicas.

4.       Easyglic (DF): Relógio de monitoramento de hipoglicemia.

5.       Energy2go (RJ): Solução de aluguel de baterias portáteis para recarga de celulares.

6.       Entropia (RJ): Plataforma de soluções de saúde para pré-diagnóstico, indicação de médicos usando blockchain e inteligência artificial.

7.       ePHealth (SC): Aplicativo de suporte ao trabalho dos Agentes de Saúde Comunitários.

8.       Everywhere Analitics (PR): Solução de contagem de tráfego de pessoas via Wi-Fi.

9.       Farmaki (RJ): Comparador de preços de medicamentos.

10.    Field Control (SP): Solução de controle de força de campo.

11.    Gamer Trials (RJ): Plataforma de testes de games.

12.    Genesis Training (RJ): Plataforma de padronização de treinamentos para franquias de futebol.

13.    DEMONL (RJ): Solução de proteção de ativos com “barreira elétrica” inovadora.

14.    JUSTTO (SP): Solução de mediação de acordos judiciais.

15.    Legal Cloud (RJ): Solução de controle de prazos legais.

16.    NEARBEE (MG): Botão de pânico via bluetooth aliado à rede de pronto atendimento colaborativo e relógio de rastreamento infantil.

17.    Power Drones (SP): Solução de video-inspeção automatizado feito através de drones.

18.    Top2You (RJ): Plataforma de coaching com executivos de mercado. (Assessoria de Imprensa)

 

Anterior Oi vai manter à AGU proposta de fatiar dívida com o governo
Próximos Teles, da Oi, acredita que plano de recuperação será aprovado neste ano

1 Comment

  1. Leonardo
    1 de dezembro de 2017

    Deveriam se preocupar em oferecer uma banda larga estável e funcional ao cliente.

    Investem no desenvolvimento de softwares, patrocinam campeonatos de surf, gastam milhões com propaganda na TV e na internet etc., mas deixam o cliente residencial sem internet por três semanas.