Oi firma nova parceria para transformação da rede. Desta vez com a Nokia


A parceria faz parte de novos contratos com fornecedores mundiais para projeto de expansão de cobertura de telefonia móvel e banda larga por fibra óptica prevista no Plano de Recuperação Judicial e nos investimentos negociados com credores.

Rajeev Suri, CEO da Nokia (à esq.), e Eurico Teles, presidente da Oi

A Oi firmou ontem, 4, com a Nokia uma parceria tecnológica de longo prazo para atender à demanda crescente por conectividade no Brasil. A iniciativa faz parte da reestruturação operacional prevista no plano de recuperação judicial da operadora, que está focado na expansão da rede de fibra ótica e no aumento da cobertura de dados móvel. A parceria estratégica com a Nokia faz parte de novos contratos celebrados com fornecedores de equipamentos para sustentar a transformação de toda a rede de banda larga fixa e móvel da companhia – no ano passado, a Oi firmou acordo semelhante com a Huawei. Além de possibilitar a expansão da cobertura de fibra óptica residencial e banda larga móvel, o projeto deixa a rede da companhia preparada para a chegada do 5G, quando esta tecnologia estiver disponível no Brasil.

Um novo modelo de negócio foi adotado para a implantação da fibra óptica até a casa do cliente (Fiber To The Home – FTTH), possibilitando à Oi ampliar e acelerar a oferta dos serviços Oi Fibra e Oi TV. A negociação com os fornecedores também poderá contribuir para maior eficiência operacional a partir da consolidação de fornecedores por tecnologia e/ou por região na área de atuação da Oi.

A parceria com a Nokia foi formalizada na sede da empresa, em Espoo, na Finlândia. Participaram do ato o presidente da Oi, Eurico Teles, e o diretor de Operações da companhia, José Claudio Moreira Gonçalves, além do diretor de Engenharia, André Ituassu. Da parte da Nokia, estiveram presentes , CEO; Ashish Chowdhary, Chief Customer Operations Officer; Ricky Corker, presidente Norte América; Osvaldo Di Campli, presidente América Latina, e Bruno Leite, diretor de vendas Brasil.

WiFi residencial

A partir do acordo assinado com a Nokia, a Oi espera alcançar novos patamares de velocidade, capacidade e desempenho em sua rede e expandir sua atuação no mercado de FTTH. Na fibra óptica residencial, a companhia quer chegar a 10 milhões de residências passadas com fibra (homes passed) até o final de 2021.

A Nokia e a Oi também esperam evoluir a qualidade do serviço de banda larga residencial, pela adoção de novos modelos que melhorem os serviços “Oi Fibra” e “Oi TV”, assim como a própria experiência do cliente. Essas soluções incluem Beacons Nokia WiFi, bem como a utilização de plataformas de gerência do ambiente WiFi da casa do usuário, melhorando a cobertura e performance do serviço de ultra banda larga. A solução deverá estar disponível aos clientes da Oi em diferentes pontos de venda pelo país, sob demanda, por meio de um contrato de revenda entre as empresas. Além disso, a Nokia, através de uma consultoria do Bell Labs, estará também dando suporte à Oi na avaliação de oportunidades e na transformação do seu negócio.

A Nokia espera contribuir para a ampla expansão da rede de acesso óptico e de transporte IP da Oi. A rede de transporte óptico será a espinha dorsal (backbone) de serviços de fibra residencial de alta velocidade e será combinada com a rede de acesso por rádio Nokia AirScale, para a banda larga móvel. Com a implantação da rede AirScale Single Radio Access, a Oi espera oferecer serviços de dados em telefonia móvel de alta velocidade, permitindo a atualização por software para atender o 5G quando estiver disponível no país. O plano estratégico da Oi foi desenhado para orientar ainda os investimentos na adequação da rede móvel para as soluções de internet das coisas (IoT).

O novo modelo de negócio para implantação de fibra óptica, que busca maximizar a rentabilização dos ativos existentes na Oi e associar a realização de novos investimentos ao resultado das vendas de serviços em cada região do país, poderá ser potencializado com os novos contratos. A Oi vem investindo num formato just in time, evitando a construção de infraestrutura ociosa e atendendo com mais precisão à demanda dos clientes por uma banda larga mais robusta. Este modelo já foi implantado nos 25 municípios em que a Oi disponibilizou suas ofertas de FTTH este ano e poderá ser acelerado com a expansão da rede da companhia. (Com Assessoria de Imprensa)

Anterior Anatel pede indicações para vagas do Comitê de Prestadoras de Pequeno Porte
Próximos Indicação de Moisés Moreira para a Anatel não avança

Sem comentários

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *