Oi finaliza compra da BrT com desembolso de R$ 5,371 bi


A Oi finalizou ontem à noite a operação de aquisição do controle acionário da Brasil Telecom Participações e da Brasil Telecom, com o pagamento de R$ 5,371 bilhões. O valor equivale ao preço acordado no contrato de compra e venda, de R$ 5,863 bilhões  atualizado pela variação da taxa média do CDI (Certificado de Depósito …

A Oi finalizou ontem à noite a operação de aquisição do controle acionário da Brasil Telecom Participações e da Brasil Telecom, com o pagamento de R$ 5,371 bilhões. O valor equivale ao preço acordado no contrato de compra e venda, de R$ 5,863 bilhões  atualizado pela variação da taxa média do CDI (Certificado de Depósito Interbancário), deduzido da dívida líquida da Invitel, empresa pertencente ao grupo da BrT, de R$ 998 milhões, informou a operadora à CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Pela operação realizada ontem, a Oi tornou-se titular, indiretamente, de 81.092.986 ações ordinárias de emissão da Brasil Telecom Participações, o que representa 61,2% do capital votante da empresa. O preço pago por ação foi de R$ 77,04.

No Fato Relevante, a Oi informa que, no prazo de 30 dias, submeterá à CVM os requerimentos de registro para uma oferta pública de aquisição de ações com direito a voto de propriedade dos acionistas minoritários da Brasil Telecom Participações e da Brasil Telecom, conforme previsto no acordo de compra e venda assinado em 25 de abril do ano passado. Com as ofertas públicas para adquirir as ações em circulação no mercado, o valor total do negócio pode chegar a algo em torno de R$ 13 bilhões.

A partir da conclusão da operação, a composição do capital social da Telemar Participações, holding que controla a Oi, será formada pelos grupos Andrade Gutierrez e La Fonte, com 19,34% cada um; pela Fundação Atlântico, fundo de pensão da Oi, com 11,5%; pelo BNDESPar, com 16,86%; e pelos fundos de pensão Previ (12,96%), Petros (10%) e Funcef (10%). (Da redação)

Anterior Oi-BrT: aguardada a publicação de fato relevante com nova diretoria.
Próximos Lula sanciona "lei dos sacoleiros"