Oi espera obter créditos fiscais de R$ 3 bilhões


Empresa também espera sucesso na disputa legal sobre incidência do ICMS nas contribuições de PIS/Cofins feitas na última década. Companhia já acelera o Capex, e promete investir cerca de R$ 2 bilhões no 4º trimestre.

A Oi também espera se beneficiar da decisão judicial sobre a incidência do ICMS no cálculo de PIS/Cofins que devolveu a Vivo e TIM bilhões de reais. No caso da concessionária carioca, a expectativa, segundo o CFO Carlos Brandão, é obter créditos fiscais que somem R$ 3 bilhões. Também conforme o executivo, a operadora já está pedindo a reparação no STF, e a expectativa é de resultado positivo.

O comentário foi realizado durante a conferência de resultados da Oi, ocorrida na tarde desta quarta-feira, 14. Brandão também falou que espera reflexos positivos da aprovação do PLC 79, que pode acontecer na próxima semana, mas evitou detalhar quais os múltiplos serão mais afetados para melhor.

Capex

O executivo avisou também que vai ampliar o investimento feito até agora, já antecipando o aporte de dinheiro novo na companhia, que se inicia na próxima semana. No ano, a Oi registrou Capex de cerca de R$ 4 bilhões. “Esperamos encerrar o ano com Capex total de cerca de R$ 6 bilhões”. O dinheiro será usado na construção da rede de acesso FTTH, dentro do plano de reuso de rede metro da companhia. E também no móvel.

Ele afirmou que a Oi segue com seu projeto de refarming da frequência de 1,8 GHz. O espectro, antes usado no 3G, está sendo redestinado para uso no 4,5 G. Atualmente, são quase 800 ERBs modificadas no país. Sua projeção é terminar o ano com 1 mil delas aptas ao LTE-Advanced.

Anterior MCTIC regulamenta aplicação de recursos de P&D por fundos
Próximos Telefonia fixa encolhe 0,89% em setembro

1 Comment

  1. Gustavo Zanata
    16 de novembro de 2018
    Responder

    O espectro de 1.8GHz fé destinado ao 2G e não ao 3G como mencionado.

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *