Oi e Huawei lançam em Búzios primeira experiência da 5G no país


Laone: preparativos para a chegada do 5G / Foto: assessoria

Atualizada em 24 de março

Os turistas brasileiros e estrangeiros do polo turístico de Búzios (RJ), na região dos Lagos, a 173 km da capital, estão degustando neste mês o sabor da nova tecnologia de banda larga móvel, a 5G, que deverá virar  realidade no país em 2022, conforme a expectativa de alguns analistas.

A Oi convidou um grupo de jornalistas  de vários pontos para conhecer a experiência. Uma das novidades oferecidas pela parceria entre a Oi e a fabricante chinesa Huawei que mais encantam quem saboreia da degustação online é a conexão em que os interlocutores podem se ver por hologramas como se estivessem um na frente do outro. Além disso, os movimentos das imagens são quase simultâneos, porque a alta velocidade e a baixa latência são os dois principais atrativos do 5G.

Novos tempos

Uma torre 5G, talvez a primeira instalada no país, foi montada na Praça da Ferradura, no centro de Búzios. Sinaliza os novos tempos de comunicação que vai permitir suporte para a internet das coisas e maior rapidez em entretenimentos, como os games eletrônicos.

“Búzios foi escolhida para essa degustação porque é uma vitrine para turistas brasileiros e estrangeiros, além de beneficiar a população local”, afirmou Laone Poletto, diretor de Planejamento de Core e Transmissão da OI. “Estamos demonstrando como será a tecnologia 5G, que ainda não está disponível no Brasil, e como a fibra ótica vai funcionar para assegurar o acesso à 5G, como já acontece com a 4.5G”, explicou.

As parceiras montaram três contêineres na Praça da Ferradura, no centro de Búzios, onde é possível fazer conexão com hologramas, ver filmes do Netflix em 4K (alta nitidez e vários recursos) e jogar em alta velocidade.

De acordo com a Oi, a cidade de Búzios já conta, desde o final de 2018, com alto patamar de cobertura de fibra óptica residencial e 4.5G na telefonia móvel. Isso proporciona internet de até 200 Mega e acesso a IPTV, a TV por internet.

Até abril de 2019, a Oi promete que Búzios vira um oásis em termos de telecomunicações. A fibra ótica estará disponível para cerca de 90% das residências, contemplando também a modernização da rede móvel com tecnologia 4,5G e já preparando o polo turístico para receber a 5G quando esta tecnologia estiver disponível no Brasil.

Na degustação, o diretor evitou falar sobre a recuperação judicial da Oi, a guerra tecnológica dos Estados Unidos contra a Huawei, a expansão da fibra ótica da Oi e a participação da  empresa  no leilão da 5G, prometido pela Anatel para março do próximo ano. Insistiu que a empresa tem 350 mil km de fibra ótica em 2.000 municípios,  e que a  4,5 G aperfeiçoa e amplia cobertura de dados móvel e abre caminho para chegada do 5G.

Segundo Poletto, o acesso à banda larga com internet por fibra óptica até a casa do cliente (FTTH) através do produto Oi Fibra, permite velocidades de navegação que vão de 50 Mega a 200 Mega.

Redução gradual

De olho nos avanços tecnológicos, a Oi se prepara para promover a redução gradual do uso das tecnologias 2G e 3G. Ao mesmo tempo, consolida uma ampla rede de fibra ótica, um diferencial na disputa do 5G.

Com isso, segundo a Oi, a empresa tem mais precisão e eficiência de custos na implantação dos serviços celulares com o alcance de seu backbone de fibra. Mas a operadora também investe para levar a fibra óptica para as residências brasileiras. Além de Búzios, o serviço de FTTH (fibra até a residência) está disponível em mais 32 cidades brasileiras. São elas: Manaus (AM), Salvador (BA), Fortaleza (CE), Goiânia (GO), Aparecida de Goiânia (GO), Belo Horizonte (MG), Pouso Alegre (MG), Divinópolis (MG), Poços de Caldas (MG), Montes Claros (MG), Varginha (MG), Vespasiano (MG), Ubá (MG), Betim (MG), Recife (PE), Olinda (PE), Curitiba (PR), Rio de Janeiro (RJ), Duque de Caxias (RJ), Vilar dos Teles (RJ), Niterói (RJ), Petrópolis (RJ), São Gonçalo (RJ), Cabo Frio (RJ), Teresópolis (RJ), Nilópolis (RJ), Campos dos Goytacazes (RJ), Angra dos Reis (RJ), Nova Iguaçu (RJ), Porto Alegre (RS), Viamão (RS) e Brasília (DF).

“ É importante reforçar que a Oi já possui rede FTTH em 33 cidades e rede 4,5G em 26 cidades, e que, através da sua rede de transporte em fibra óptica de grande capacidade e alta capilaridade, é a operadora capaz de transportar nacionalmente o tráfego de dados de alta velocidade, seja do FTTH ou da rede 4,5G/5G, com qualidade”, explicou José Cláudio Moreira Gonçalves, diretor de Operações da Oi.

“Os equipamentos da Huawei instalados pela Oi em Búzios são de última geração e vão contribuir para que os clientes da operadora tenham experiência de conectividade de alta velocidade e de qualidade superior na navegação pela internet”, afirmou Yao Wei, presidente da Huawei no Brasil, segundo a assessoria.

O jornalista viajou a convite da Oi

Anterior LTE termina 2019 com quase 4 bilhões de conexões no mundo
Próximos PGMU: Anatel conclui lista de cidades a serem atendidas com 4G

5 Comments

  1. Diego
    23 de Março de 2019
    Responder

    A Oi tem uma cobertura de dados pífia no Brasil e quer demonstrar a 5G? Está, sim, fazendo propaganda… para as outras operadoras. Enquanto a Oi não sair da recuperação judicial jamais vai investir de forma descente; e isso talvez não aconteça tão cedo pois ainda continua dando prejuízo. Triste realidade da Oi.

  2. Carlos Eduardo
    23 de Março de 2019
    Responder

    De que adianta ter tudo isso que eles alegam na matéria se é restrito para meia dúzia de pessoas. A Oi parou no tempo, ADSL com 5 – 10 Megas no máximo enquanto seus concorrentes oferecem muito mais que isso a preços muito menores.

  3. Richard
    25 de Março de 2019
    Responder

    Tudo lindo e maravilhoso… mas e o 700mhz nas cidades que desligaram a tv analógica? É … porque… até agora, somente grandes centros (nem todos, aliás) estão com isso e apenas na Vivo e TIM.

    E aí? Como faz? E aí também Claro: que tal ampliar sua cobertura no 700mhz??????

    • Lucas
      1 de Abril de 2019
      Responder

      Richard, a Oi é a única operadora que não participou do leilão de 700 MHz, então mesmo depois do delsigamento, a OI NÃO PODE usar os 700 MHz. Só poderá usar se conseguir vencer o novo leilão da anatel de 2020, que deverá licitar o bloco que ela não comprou, com muita dificuldade, pois as concorrentes vão querer esse bloco de 700 MHz pra 5G e serão agressivas em suas ofertas.

  4. Deyvid
    25 de Março de 2019
    Responder

    A Oi instalou numa torre o 5G, sendo que nem em país de primeiro mundo isso aconteceu ainda? a Oi também desenvolveu um chip e um aparelho que possa receber toda essa tecnologia atendendo os releases do 3GPP? Se sim, parabéns!!! imagina se a empresa estivesse bem das pernas.

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *