Oi bate recorde com transmissão de 4,27 Terabytes de dados


Foto: Kado Rothfelder

A Oi registrou recorde de volume de tráfego de 4,27 Terabytes na rede montada para a etapa brasileira do circuito mundial de surfe, o Oi Rio Pro, em Saquarema, no Rio de Janeiro, que terminou com a vitória do brasileiro Filipe Toledo. Em 4 dias de evento, o volume registrado equivale a 1,09 milhão de fotos de alta resolução, 20% maior que o número transmitido no ano passado, de 909 mil fotos (3,53 Terabytes).

A Oi disponibilizou Wi-Fi para o público, totalizando 377.980 conexões, número 45% maior que o da etapa realizada em 2018, quando houve 260.500 conexões. Na praia, a estimativa foi de um público de 36 mil pessoas por dia, com pico no domingo, quando estiveram lá 43 mil pessoas.

A companhia disponibilizou para a WSL, nas duas sedes do Oi Rio Pro (Praia de Itaúna e Barrinha), links de dados totalizando 2,2 Giga de capacidade – a mesma do evento de 2018– atendendo diferentes áreas, incluindo cabine de jurados e sala de imprensa. A Oi ainda disponibilizou o serviço Oi WiFi, gratuito ao público presente nos dias de competição. Para oferecer toda a infra de telecom e TI ao evento, a Oi mobilizou colaboradores de diversas áreas no planejamento e implantação dos serviços, um mês antes do início da competição, com o objetivo de garantir alta disponibilidade nos dois sites, durante todo período do evento. Todos os serviços (Dados, Oi WiFi e Móvel) foram suportados por 7 Km de cabos de fibra ótica próprios.

A cobertura da rede móvel (3G e 4G) foi reforçada com a instalação de antenas e equipamentos extras espalhados por toda a estrutura do evento. A companhia ofereceu internet wi-fi para a área dos atletas e área vip, bem como internet de alta velocidade para a WSL, e serviço de suporte ao usuário na sala de imprensa do evento, que incluiu links para demandas de internet, como transmissão de fotos e vídeos para todo o mundo. A rede da Oi operou com 100% de disponibilidade e foi ininterruptamente monitorada por técnicos a partir de salas de controle localizadas na sede do Oi Rio Pro e no Centro de Gerência de Serviços da companhia.(Com assessoria de imprensa)

Anterior Superintendência do Cade opina pela aprovação da compra da Red Hat pela IBM, sem restrições
Próximos Enel, dona da Eletropaulo, defende cassação de licença das teles que usam os postes sem autorização