Oi aposta na rede de fibra, mas não se desfaz da móvel. Vai vender R$ 7 bi de ativos


A estratégia da Oi para os próximos 3 anos vai fortalecer a sua maior riqueza – o backbone de fibra, com 363 mil Km- para se tornar a mais forte provedora de rede de transporte de dados no país. Tele também vai investir pesado no FTTH, para ser também forte no varejo da banda larga fixa e manter suas operações de telefonia celular. De onde virá o dinheiro? Venda de ativos e corte de custos. Crescimento previsto de receita será de 2% ao ano.

A Oi apresenta hoje, 16, para o mercado, investidores e analistas a sua estratégia de atuação para o fim da Recuperação Judicial, prevista para o final de fevereiro. E a aposta da concessionária é fortalecer a sua maior riqueza – o backbone de fibra, com 363 mil Km – e investimento massivo na FTTH para se tornar a mais forte provedora de rede de transporte  e de varejo de dados no país. Anuncia também que irá manter as suas operações de telefonia celular, e se prepara para a 5G. De onde virá o dinheiro? Venda de ativos, que somarão R$ 7 bilhões, e corte de custos de R$ 1 bilhão ao ano a ser alcançado em 2021, além do crescimento da receita.

O foco estratégico da empresa será a sua rede de fibra, quando pretende se fortalecer tanto como provedora de oferta de dados no atacado, como no varejo. Para isso, ela irá manter os investimentos em seu backbone, fortalecendo e modernizando a rede para sustentar a demanda com os serviços de 5G que estão chegando.

Mas a empresa irá também com tudo para a rede de fibra ao usuário final, o FTTH, ou seja, quer ser uma grande fornecedora de banda larga rápida, para reagir àqueles que estão comendo seus mercados pelas bordas, entre eles os ISPs, que cresceram muito em sua região.

Com a aceleração massiva que pretende impor na rede de acesso da banda larga fixa, pretende alcançar 4,6 milhões de home passed (casas com fibra) até o final deste ano e 16 milhões em 2021. Esse aumento de investimentos  irá provocar um crescimento de 66% maior das casas cabeadas do que o inicialmente previsto pela operadora.

Esse grande impulso no crescimento da banda larga sobre a fibra se deve ao novo método de engenharia adotado pela Oi, de “rebordagem de uso”, que barateia e torna mais rápida a instalação das redes de fibra.

Móvel

Na telefonia móvel, a Oi avisa que tem planos para a 5G, mas não diz categoricamente que vai disputar o leilão de novas frequências previsto para março pela Anatel. 

Em sua estratégia, ela vai fazer o refarming (instalar nova tecnologia) na frequência de 1,8 GHz. Anuncia também que vai apostar nos clientes mais caros, e por isso quer aumentar market share no pós-pago, o que pode ser um alívio para os competidores, porque estava com planos bem agressivos no pré-pago, o que provocou uma queda nos preços nos últimos meses.

De onde vem o dinheiro

Para sustentar esse planejamento, a Oi contará, principalmente, com venda de ativos e resultados operacionais positivos. A empresa espera vender:

Venda em 2019:

*as torres de telecomunicações que ainda não foram vendidas;

* Unitel (operadora de telecomunicações de Angola);

Venda em 2020

*Data Center

* Ativos não estratégicos

Venda em 2021

* Imóveis (aqueles que forem autorizados pela Anatel)

Redução de Custos

Há também uma forte redução de custos, de R$ 1 bilhão em três anos. Os cortes serão feitos em vendas e marketing; processos organizacionais; Tecnologia da Informação (TI), Compras e rede.

Guidance

Até 2024 a Oi prevê crescimento anual de receitas de 2% ao ano (CAGR, ou taxa anual composta de crescimento); Ebitda (caixa) de rotina entre R$ 4,5 e R$ 5 bilhões este ano. E crescimento entre 15% a 20% no Ebitda de 15% a 29% até 2021.

Anterior Novo PDV dos Correios não atinge meta
Próximos Anatel abre 5 consultas públicas sobre acumuladores de energia chumbo-ácido

1 Comment

  1. Carlos Pereira
    17 de julho de 2019
    Responder

    Quer uma opinião
    Corram dessa Oi
    Tive dois meses de dor de cabeça com essa operadora.
    Cobrança indevida
    Contratei um plano, não entregaram.
    Instalaram um telefone, depois veio outro técnico que tirou aquele e instalou outro, ai ficaram cobrando duas instalações
    Quando consegui cancelar os dois, me cobraram taxas de instalação dos dois.
    Um absurdo.
    Corammmmmmm

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *