Oi antecipa backhaul e compromisso de venda de banda larga


 Hoje o presidente Lula irá decidir o Plano Nacional de Banda Larga, política para massificar o acesso à internet veloz no país. Diferentes representantes do governo federal têm aumentado o tom contra as concessionárias privadas de telefonia, acusando as empresas de não levarem a banda larga para todo o país, de a velocidade ser lenta …

 Hoje o presidente Lula irá decidir o Plano Nacional de Banda Larga, política para massificar o acesso à internet veloz no país. Diferentes representantes do governo federal têm aumentado o tom contra as concessionárias privadas de telefonia, acusando as empresas de não levarem a banda larga para todo o país, de a velocidade ser lenta e o preço caro.

Para se contrapor a esses argumentos, a Oi também vai antecipar a entrega do backhaul (estrada estadual de banda larga) e a venda dos serviço em todos os municípios brasileiros.

Segundo o diretor de estratégia da operadora, João de Deus, a Oi, que já completou a construção do backhual em quatro estados, entregará toda a infraestrutura de rede até outubro (seu compromisso era o de concluir o serviço em dezembro). Dois meses de antecipação parece pouco, mas não custa lembrar o tamanho e as disparidades regionais do país.

O mais importante é que a Oi vai, a partir de dezembro, estará vendendo o Velox (a banda larga para o usuário final) em todos os municípios onde atua, antecipando, assim, em um ano o compromisso assumido com o governo, como contrapartida à compra da Brasil Telecom. "É verdade que a banda larga continuará sem chegar  a muitos bairros e localidades, mas ela estará presente em todos os municípios brasileiros", assinalou o executivo.  

Hoje, não será aprovado nem divulgado o decreto que irá institucionalizar a política de massificação da banda larga. Na reunião de Lula com os ministros e coordenadores do plano serão apresentados  os estudos e propostas formuladas pelo grupo técnico.

Anterior Lucro da NET chega a R$ 736 milhões em 2009
Próximos Lucro da Vivo sobe 120% e chega a R$ 857,5 mi em 2009