stockvault-padlock-on-a-rusty-chain-cadeado-correnteTelegram, o aplicativo de mensagens com base na Rússia, vai se juntar à onda da tecnologia blockchain, lançando sua própria criptografia no final deste ano, após uma “oferta inicial de moedas” que poderia alcançar até US $ 500 milhões.

O rival da WhatsApp, que diz que espera superar 200 milhões de usuários globais este ano, quer arrecadar dinheiro para ajudar a criar uma plataforma usando o blockchain, a tecnologia que sustenta a criptografia, que permitiria que os usuários efetuassem pagamentos através do aplicativo, de acordo com os planos divulgador pelo Financial Times.

O projeto, denominado Telegram Open Network e primeiro divulgado pela TechCrunch, seria o primeiro serviço de mensagens ocidental a seguir na sequência do sucesso da China, o WeChat Pay, que integra o pagamento no aplicativo de mensagens de texto. Ao contrário do WeChat Pay, o projeto da Telegram não será hospedado em servidores centralizados, ou vinculado a uma moeda controlada pelo governo, como o renminbi.

O presidente-executivo da Telegram, tem um interesse de longa data no tema. E é dono de 2 mil bitcoins que comprou há cinco anos por US $ 750 cada, que agora valem US $ 28 milhões. A proposta da Telegram diz que irá manter uma pré-venda de seus tokens de criptografia, conhecidos como Grams, no início de 2018, a partir de US $ 0,10. O aplicativo também está considerando vender os tokens em massa para investidores institucionais em troca de moeda convencional. (Com noticiário internacional)