A banda larga vai ter velocidade média de 25 Mbps, assegura Martinhão


Segundo o secretário de Telecomunicações, embora 30% das residências brasileiras tenham algum tipo de banda larga, 80% dos acessos da banda larga fixa estão concentrados em 4% dos municípios brasileiros e a internet de mais de 12 Mbps, 80% delas estão presentes em apenas 1% dos municípios brasileiros. “Não se conseguirá universalizar a internet se não se der vazão ao tráfego”, afirmou ele.

O secretário de Telecomunicações, Maximiliano Martinhão, afirmou hoje, 7, em audiência pública no Senado Federal, que o governo tem a meta de atingir, no Plano Nacional de Banda Larga (PNBL), os 25 Mbps de velocidade média da internet no Brasil. E reforçou que a meta é atender 90% dos municípios e 45% das residências com fibra óptica. “Não se conseguirá universalizar a internet se não se der vazão ao tráfego”, afirmou ele.

Recentemente, também no Congresso Nacional, o conselheiro da Anatel, Marcelo Bachara, havia di criticado a meta de 25 Mbps por residência, por achar ela inviável. Max, do Minicom, ressaltou que esta é a meta de velocidade média do programa e ela está mantida.

E detalhou a linha geral do plano. A intenção é fazer um leilão reverso e lançar programa de empréstimo subsidiado para os pequenos provedores. O leilão pretende levar a fibra óptica para 90% dos municípios e 45% dos domicílios brasileiros das regiões metropolitanas e cidades acima de 100 mil habitantes.

Em 1,284 mil municípios com até 100 mil habitantes o governo pretende engajar os provedores de acesso a internet, com linhas de financiamento mais baratas,via Finame ou BNDES. Para isto,

o governo vai lançar um fundo garantidor até 80% dos valores tomados em empréstimo, seja por meio do Finame, seja pelo BNDES Automático. Cada provedor poderá tomar no máximo R$ 3 milhões. O valor total do fundo, inicialmente, será de R$ 30 milhões. Coimbra ressalta, porém, que o valor pode ser alavancado, o que deve multiplicar a capacidade de empréstimos. Além disso, se a iniciativa for bem-sucedida, a intenção do MiniCom é ampliar o fundo a até R$ 300 milhões. O administrador do fundo deve ser um banco comercial.

 

Segundo o presidente da Abrint, Erich Mattos Rodrigues, com esta linha de financiamento, os provedores poderão atender outras 40 milhões de pessoas com banda larga, telefonia e TV.

 

Telebras

 

Conforme o presidente da Telebras, Jorge Bittar o satelite geoestacionário, que vai cobrir todo o país, está cumprindo rigorosamente o programa, e vai ser lançado em 1 trimestre de 2017.

Ele ressaltou que a empresa busca parcerias com diferentes órgãos do governo federal, como Serpro, Correios e Dataprev, para lançar uma rede de distribuição de conteúdos digitais com informações do governo.

 

 

Anterior Berzoini quer serviço único com obrigação para banda larga
Próximos Bayard vai pagar R$ 150 mil à CVM

1 Comment

  1. Deivison
    13 de julho de 2015

    Que bom seria, em minha cidade ABAETETUBA-PA 150 mil abitantes onde os provedores oferecem 600kbps por 120,00 reais, vergonha.