Nextel diz que pode recorrer à controladora pra atender covenants


A Nextel publicou na terça-feira, 17, no Diário Oficial Empresarial de São Paulo, um balanço financeiro no qual mostra que a operadora brasileira apurou prejuízo de R$ 8,26 bilhões em 2015. O número é 4,2 vezes maior que o registrado em 2014 e contabiliza, entre outras perdas, o impairment de R$ 3 bilhões de ativos. A receita líquida encolheu de R$ 3,9 bilhões em 2014 para R$ 3,4 bilhões.

No comunicado, a operadora afirma que sofre com “deterioração significativa da situação econômica brasileira, aumento da competitividade, depreciação da moeda local em relação ao dólar americano, e impacto do atraso da comercialização do serviço 3G”.

E vai além. Diz que tem uma série de compromissos (“covenants”) com bancos nacionais. Esses compromissos começam a ser medidos em junho. No entanto, a companhia diz, no balanço, que não vê possibilidade de atender aos compromissos, o que permitirá ao credores exigir antecipação da liquidação da dívida.

Diante deste cenário, admite haver “incerteza significativa que gera dúvida significativa quanto à capacidade de continuidade operacional da Empresa”. O mesmo diz o relatório feito pela auditoria KPMG para a operadora, apresentado em 28 de abril, anexado ao balanço. Pelos cálculos apresentados, a Nextel tem R$ 7,9 bi em ativos, R$ 357 milhões a menos do que o prejuízo apurado em 2015.

Importante destacar que a publicação deste balanço difere completamente de números apresentados pela NII Holdings para os resultados de 2015, no qual afirmava prejuízo de US$ 84 milhões da Nextel. A NII controla a Nextel Brasil.

Ao Tele.Síntese, a operadora diz que o balanço mostrou uma situação transitória, e que os resultados do começo do ano alteraram o panorama, melhorando a geração de caixa. “A Nextel Brasil apresentou crescimento de 37,5% de sua base 3G/4G no período de um ano, passando de 2 milhões de clientes para 2,7 milhões, aumento das vendas 3G/4G por meio da portabilidade. Em um ano crescemos 22 pontos percentuais. A receita de serviços (SMP) cresceu 44,3% em um ano. O custo de aquisição por cliente (do inglês CPGA*) registrou queda de 21,8%. No período de um ano a Nextel cresceu no 4G 222% no DDD 21. Diminuímos 15,8% as despesas operacionais no período de um ano”, afirma, em nota.

Acrescenta que sua controladora, a NII Holdings tem caixa e poderá intervir para garantir o atendimento dos covenants. “A NII Holdings continuará, como sempre fez, aportando os recursos necessários para atender os desembolsos financeiros, da mesma forma como será feito para atender às covenants. A NII Holdings possui US$ 332 milhões em caixa, mais US$ 35 milhões de dólares em investimento de curto prazo  além de outros US$ 155 milhões de contas a receber de curtíssimo prazo”, acrescenta a tele.

Anterior Anatel aprova regulamento de acessibilidade
Próximos Telefônica Vivo vai encerrar o Vono, serviço VoiP herdado da GVT