Nutanix alerta para cuidados com o trabalho em casa


A crise global do novo coronavírus fez com que os principais gigantes da tecnologia adiassem viagens “não essenciais” e incentivassem os funcionários a trabalhar em casa, como aconteceu com o Twitter, Google, Salesforce e outros. Para o diretor-geral da Nutanix no Brasil, Leonel Oliveira, na medida em que os funcionários interagem cada vez mais com a tecnologia em suas casas, sua facilidade de uso, design e utilidade se tornam um fator ainda mais crucial para o trabalho produtivo.

“As pessoas não são máquinas – elas têm emoções e frustrações e elas ficam sobrecarregadas – e, para os líderes organizacionais e de TI, isso significa oferecer as ferramentas certas para esse novo paradigma, usando tecnologia que habilita – não a que desabilita”, afirma o executivo. Para ele, há três maneiras de tornar esse trabalho produtivo.

A primeira delas é o planejamento de todos os cenários e a realização de teste de escalabilidade da rede. “Uma coisa é ter parte da força de trabalho em casa – é um cenário totalmente diferente quando milhares de pessoas estão se conectando remotamente a uma VPN ao mesmo tempo. Isso se torna um teste para determinar se o sistema será dimensionado”, avalia Oliveira. Ele diz que muitas ferramentas corporativas foram criadas para operar apenas internamente, por isso é tarefa do departamento de TI garantir que todos possam acessar aplicações e dados com segurança de seus dispositivos (móveis e computadores) em casa.

PUBLICIDADE

“Em um momento de crise global, quando há medo do desconhecido e falta geral de informações, é imperativo que os líderes de TI da empresa forneçam informações, ferramentas e processos específicos nos quais as pessoas possam confiar”, sustenta. Para ele, depois de desenvolver um pequeno conjunto de cenários possíveis, a próxima etapa é testar para garantir desempenho e escalabilidade. “Se você está em uma empresa que não fez muito progresso aqui, faça-o agora”, disse.

A segunda maneira é alinhar a tecnologia – não apenas em quais ferramentas usar, mas em como usá-las. “Muitas pessoas falam sobre tecnologias de colaboração remota – da videoconferência ao desktop as a service – mas o que não está sendo enfatizado é a importância da configuração. As questões de como usar a tecnologia são tão importantes quanto à tecnologia a ser usada”, destaca.

Segundo o diretor-geral, a Nutanix, criou um site de intranet em constante expansão intitulado “Como trabalhar em casa”. Incluiu detalhes sobre como acessar a VPN, fazer login nos aplicativos em toda a empresa, sobre a ferramenta de videoconferência e como habilitar os funcionários a usar seus telefones móveis no PBX (sistema de telefone privado) da empresa baseado em nuvem.

A terceira maneira é a preparação da documentação correta para permitir que todos tenham acesso. Os ‘runbooks’ são um princípio básico do gerenciamento de TI que descreve onde um sistema está sendo executado – no local, na nuvem etc. – como acessá-lo, contas e senhas de administrador, operações e desempenho esperados, orientações de monitoramento e como para parar e iniciar um sistema. “No pior cenário, um colaborador principal pode estar inacessível e todos os membros da equipe precisam ser ativados por meio dessas informações”, disse.

O executivo ressalta que o ponto principal da liderança de TI é que o principal valor de uma organização vem de seus funcionários. “No momento em que eles podem estar isolados um do outro e continuar fazendo o trabalho diário, a maneira como os líderes de TI os apoiam e habilitam através da tecnologia terá um impacto profundo na produtividade da empresa em geral”, concluiu.

 

Anterior Consultoria para bens reversíveis, só em junho
Próximos Intelsat seleciona SpaceX para lançar satélite Intelsat 40e