NSN levará LTE para as áreas rurais da Inglaterra



Barcelona
– A NSN- que é só Nokia, depois da saída da alemã Siemens da joint-venture – preferiu apresentar na coletiva de imprensa do MWC de domingo, 23,  seus números e posicionamento, ao invés de lançar qualquer novo produto ou serviço. Segundo o CEO, Rajeev Suri, a empresa registra fluxo de caixa positivo por nove meses seguidos. E é hoje a segunda maior fabricante de rádio celular e a primeira na oferta de equipamentos TD/LTE, fora do mercado chinês. O executivo acredita que, no segundo semestre deste ano, a empresa começará a apresentar os primeiros números de crescimento.

 

Conforme suas projeções, em mais alguns anos, o tráfego digital crescerá mais rápidamente do que a capacidade de processá-lo. “Em 2020 serão baixados 15 milhões de vídeo HD nas redes de telecom todos os dias”, estima.

 

Ao mesmo tempo em que anunciava os números gigantescos do futuro, a empresa levava para a conferência o presidente da operador britânica de celular, a EE para mostrar a situação do presente. A EE foi a primeira empresa a lançar a rede 4G LTE na Gra-bretanha e seu presidente anunciou que iria usar a tecnologia da NSN para completar o rollout de sua rede e cobrir os 25% restantes da população das áreas rurais e pequenas cidades. “Escolhemos a NSN devido a sua alta qualidade nos serviços fim-afim”, afirmou o CEO, Olaf Swantee. 
 

A jornalista viaja a convite da Alcatel-Lucent.

Anterior Alcatel-Lucent e Intel fortalecem parceria para acelerar a nuvem
Próximos MWC: Presidente da América Móvil defende preço adequado para espectro