Novo presidente dos Correios não confirma sua venda


Bolsonaro cumprimenta o novo presidente da estatal / Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Logo após tomar posse nessa segunda-feira, 24, como novo presidente dos Correios, o general Floriano Peixoto Neto, manteve o tom  nacionalista de seu antecessor, o general Juarez Aparecido Cunha, que se manifestou contra a privatização da estatal durante audiência pública na Câmara. Questionado sobre se a empresa não será vendida, caso volte a crescer, Peixoto disse não poder assegurar isso, mas elogiou a imagem da estatal, geralmente apontada pelo presidente Jair Bolsonaro como polo de corrupção e má gestão durante os governos petistas.
“Uma coisa de cada vez. Vamos trabalhar para a empresa crescer. É isso que todos nós queremos. O Correio é do Brasil, é uma empresa nossa, e que nós temos muito orgulho”, enfatizou, em entrevista, após cerimônia no Palácio do Planalto.
Ex-ministro da Secretaria-Geral, Peixoto destacou, porém, que ainda não está conversando sobre uma eventual privatização da estatal, mesmo sabendo que seu antecessor, nomeado no governo Michel Temer, foi demitido por Bolsonaro sob a acusação de que teria agido como “sindicalista” ao participar do evento na Câmara.
Na ocasião, Juarez alertou que apenas o “filé” da estatal seria vendida e que o cidadão iria bancar pelos serviços não lucrativos prestados em municípios isolados.
A respeito da venda dos Correios, Peixoto declarou: “Não estamos ainda falando em nada de privatização, nada. A minha intenção é ir para lá trabalhar para fortalecer, para fazer a empresa crescer, ficar mais gigante ainda do que ela é. “
Recuperação 

Em seu discurso na cerimônia, na qual Jorge Antônio de Oliveira Francisco também tomou posse como novo secretário-geral da Presidência, Bolsonaro criticou as gestões anteriores da estatal.

Após prejuízos registrados entre 2013 e 2016, a estatal registrou lucro de R$ 161 milhões em 2018 e de R$ 667,3 milhões em 2017. Para privatizar a estatal, o governo precisa da anuência do Congresso, conforme decisão do Supremo Tribunal Federal.

Anterior PL das agências reguladoras será sancionado hoje com vetos
Próximos 15 redes 5G no mundo seguem os padrões da 3GPP

Sem comentários

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *