Novo CEO da Algar Telecom quer um PGMC para o mercado de TV paga


O novo presidente da Algar Telecom, Jean Carlos Borges, sabe que o caminho da operadora está bem definido, focado no mercado corporativo, mas sem se descuidas dos clientes pessoas físicas nas cidades onde a empresa tem licenças de telefonia móvel, fixa e TV por assinatura.

E para esse mercado de massa, o  executivo elogia as iniciativas da Anatel, de fazer valer o Plano Geral de Metas de Competição que, entre outras medidas, criou regras assimétricas para as tarifas de interconexão da rede móvel, a  VU-M.

A Algar Telecom, por não ter Poder de Mercado Significativo, paga uma tarifa de interconexão até 30% mais barata para os grande conglomerados, o que possibilitou a empresa fazer novos planos de tarifa e reter melhor  sua clientela. “ Cobramos R$ 0,24 por ligação de voz, independente do tempo de conversação, o que fez uma importante diferença para o cliente”, afirmou Borges.

Com a experiência bem-sucedida dessa regulação, Borges defende que esta experiência deve ser adotada também para o segmento de conteúdo para TV por assinatura. Segundo ele, os empacotadores de canais de TV fazem contratos draconianos com os pequenos provedores, o que, no seu entender, é um dos principais entraves para o crescimento do setor.

A Algar chegou a criar uma empresa que negociaria em nome dos pequenos ISPS os pacotes de conteúdo de TV, mas depois de dois anos tentando, desistiu da empreitada, disse ele, porque não conseguia quebrar a enorme distância de preços estabelecida pelos empacotadores para aqueles que tem milhões de usuários. “70% de nossos custos de TV por assinatura são com os conteúdo audiovisual”, afirmou ele.

A operadora, que não comprou licença de 2,5 GHz, mas arrematou as frequências de 700 MHz de  sua área de atuação resolveu modernizar toda a sua rede de celular. Fechou um grande contrato com a Nokia e está fazendo o overlay de sua rede 3G, já a preparando para a 4G. “Os novos equipamentos oferecem muito mais velocidade e eficiência energética, preparando o caminho para 4G”, assinala.

No segmento corporativo, a Algar Telecom amplia sua presença nos estados do sul do país, acompanhando os links da Petrobras, licitados pela estatal, e adquiridos pela empresa no ano passado.

 

Anterior Presidente da Anatel desafia as operadoras a buscar novas fontes de receitas
Próximos Rezende considera quase impossível rever metas de leilões passados