Nove empresas começarão a produzir tablets no país, diz Bernardo.


O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmou nesta quinta-feira (21) que nove empresas estão cadastradas para produzir tablets no Brasil, com inclusão do equipamento na Lei do Bem. Os benefícios incluem a isenção de PIS/Cofins e a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), desde que fabricados conforme Processo Produtivo Básico (PPB).

“Algumas empresas já começarão a produzir os tablets a partir de agosto. Como um equipamento bastante ambicionado pelas pessoas, que estão com bom poder aquisitivo, acho que as vendas vão ‘bombar’ no fim do ano”, acrescentou Bernardo, durante o programa de rádio “Bom Dia, Ministro”.

Indústria nacional

O ministro das Comunicações ressaltou que a desoneração de equipamentos não trará prejuízos para a indústria nacional. “Toda a ação está sendo feita em sintonia com os ministérios de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia e da Fazenda e a prevê a inclusão de conteúdo nacional, a pedido da presidente Dilma Rousseff”, assegurou.

“No caso dos tablets, nós fizemos uma medida muito boa, que permitirá a redução de 36% nos preços do equipamento”, disse Bernardo. No PPB dos tablets estão os índices de nacionalização do equipamento.

Banda larga rural

Paulo Bernardo disse que a oferta de banda larga na área rural dependerá da licitação da faixa de 450 MHz, prevista para abril do ano que vem. “O termo de compromisso assinado com as teles só garante o serviço na área urbana”, destacou.

O ministro ainda falou da intensificação dos debates sobre o modelo de rádio digital a ser adotado pelo país a partir de agosto, com a participação da Câmara e do Senado. Ele admitiu que há dificuldade técnicas e até políticas para usar os canais 5 e 6 de TV (faixa de 700 MHz), como defendem os radiodifusores.

Anterior Qualcomm aumenta lucro em 35%
Próximos TIM amplia oferta de internet móvel ilimitada para PMEs