Nos EUA, 30% dos iPhones desbloqueados


Analistas norte-americanos divulgaram relatórios estimando que um em cada quatro compradores de iPhones intenciona desbloquear o aparelho para utilizá-lo em outras redes que não a da AT&T, operadora que detém exclusividade de comercialização do dispositivo no país. Os números foram retirados dos balanços trimestrais da Apple e da AT&T. Enquanto a Apple afirma ter vendido …

Analistas norte-americanos divulgaram relatórios estimando que um em cada quatro compradores de iPhones intenciona desbloquear o aparelho para utilizá-lo em outras redes que não a da AT&T, operadora que detém exclusividade de comercialização do dispositivo no país.

Os números foram retirados dos balanços trimestrais da Apple e da AT&T. Enquanto a Apple afirma ter vendido 3,7 milhões de iPhones no último ano, a AT&T informa ter adicionado não mais que 2 milhões de assinantes com iPhone no mesmo período. Mesmo considerando que boa parte dos dispositivos tenha sido vendida na Europa, e portanto não ativados pela AT&T, analistas avaliam que, entre 750 mil e 1 milhão de dispositivos foram vendidos para serem utilizados na rede da AT&T, mas depois foram desbloqueados.

Apesar de vozes da indústria discoradarem sobre a precisão destes números, o fato é que o desbloqueio pode auxiliar a Apple a atingir sua meta de venda de 10 milhões de iPhones. No entanto, estes dispostivos também podem afetar o modelo de negócios da Apple, pois a companhia possui acordos de compartilhamento de receitas com a AT&T. Analistas estimam que para cada milhão de iPhones desbloqueados nos EUA, a Apple perca US$ 400 milhões em receitas futuras.

No Brasil não há números seguros sobre a quantidade de iPhones em uso, pois a maioria destes aparelhos entra ilegamente ou importada por meio de sites de comércio eletrônico. No entanto, no mercado nacional, há uma certeza: todos os dispositivos em operação são desbloqueados, tendo em vista que nenhuma operadora que atua no Brasil fechou contrato de exclusividade com a Apple para a comercialização do iPhone no país. (Da Redação, com noticiário internacional)

Anterior Motorola avalia vender sua unidade de celulares
Próximos PMEs representam 30% do faturamento de serviço IP da BrT