Nono dígito do celular começa no interior paulista neste domingo. No Rio, a mudança ocorre em outubro.


A partir de domingo (25) todos os telefones celulares de São Paulo terão um número a mais. O nono dígito, que foi implantado na região metropolitana da capital paulista, em julho do ano passado, será estendido para os demais celulares do estado, atingindo mais de 30 milhões de usuários do serviço. No Rio de Janeiro, o nono dígido será implementado em setembro. Em todo o Brasil, o processo se conclui em 2016.

Em 27 de outubro, a marcação do 9 antes do número do celular será obrigatória também no Rio de Janeiro e no Espírito Santo. Até 31 de dezembro de 2014, o nono dígito chegará aos usuários dos estados do Amazonas, Pará, Roraima, Amapá e Maranhão. Até 31 de dezembro de 2015, será a vez dos estados de Minas Gerais, Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí.

A implantação do nono dígito será completada em 31 de dezembro de 2016, chegando aos estados de Tocantins, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Acre, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, além do Distrito Federal. A inclusão de mais um número garante o aumento de números de 37 milhões para 90 milhões por cada DDD (código de área), ampliando o número possível de celulares no país de 296 milhões para 720 milhões.

Segundo o coordenador da área de numeração da Anatel, Afonso Feijó, a inclusão do nono dígito foi necessária devido à escassez de números para celulares de São Paulo. O Rio de Janeiro, com mais de 30 milhões de linhas ativas, também se aproxima de situação de emergência. Mas, no restante do país, a implantação foi antecipada visando à padronização da numeração.

São Paulo

O custo do acréscimo do 9 antes da numeração dos celulares no interior de São Paulo (do DDD 12 ao 19) ficou em R$ 98 milhões, e será arcado exclusivamente pelas operadoras. Nesse valor estão incluídos gastos com alterações nas redes, com software e com campanhas de informação à sociedade, iniciadas em janeiro deste ano.

A expectativa da Anatel é de que a operação ocorra sem transtornos, como aconteceu na implantação do nono dígito na capital paulista, no ano passado. “A primeira operação serviu também de aprendizado”, salientou Feijó.

Pelo cronograma, de 25 de agosto a 3 de setembro, as chamadas com 8 ou 9 dígitos para os celulares do interior paulista serão completadas. A partir do dia 4 de setembro a 2 de dezembro, as chamadas com 8 dígitos serão interceptadas e uma mensagem informará a necessidade de colocar o 9 antes do número a ser chamado.

 

“Essas ligações poderão ser completadas ou não, dependendo das características de cada rede, não é mandatório”, explicou Feijó. Ele informou também que a responsabilidade pela atualização das agendas dos celulares e dos PABX é do usuário. “Algumas prestadoras estão oferecendo gratuitamente aplicativos que atualizam as agendas dos aparelhos”, informou.

A comunicação ao usuário sobre a mudança está sendo feita desde janeiro, por meio de publicação de anúncios em jornais, informações por SMS, nas contas dos telefones e nos portais das prestadoras. A Anatel também publicou uma cartilha explicativa no seu site.

Anterior Principais executivos de TV paga e presidente da Anatel juntos no Encontro Tele.Síntese
Próximos TV paga precisa repensar entrega de publicidade, diz Sky