Nokia lança linha de celulares focada no mercado corporativo


A Nokia lançou hoje no Brasil, sua linha de celulares Eseries, focada no mercado corporativo. Os aparelhos são divididos em três categorias, de acordo com seus recursos mais utilizadas: Business Samartphones, Messagin e Mobile Office. Todos os terminais da Eseries possuem WiFI (que permite acesso sem fio à internet) e Voz sobre IP (VoIP) por …

A Nokia lançou hoje no Brasil, sua linha de celulares Eseries, focada no mercado corporativo. Os aparelhos são divididos em três categorias, de acordo com seus recursos mais utilizadas: Business Samartphones, Messagin e Mobile Office. Todos os terminais da Eseries possuem WiFI (que permite acesso sem fio à internet) e Voz sobre IP (VoIP) por meio de uma rede local. “Isso significa que aquele  telefone sobre a mesa do escritório vai desaparecer, pois o celular vai funcionar também como ramal pessoal”, o que acontecerá “tanto no seu local de trabalho, quanto em outra cidade”, afirmou Newton Pontes, diretor de vendas corporativas da Nokia.

Além da telefonia corporativa, os aparelhos são projetados para uso intenso de e-mail móvel, e são compatíveis com os serviços que utilizam a plataforma de mobilidade Intellisync, de propriedade da Nokia, que permite “acessar qualquer base de dados em qualquer plataforma”, disse Pontes. Ele ressaltou no entanto que os aparelhos são compatíveis com outras plataformas de mobilidade, como Blackberry e MotoQ. Segundo o executivo, as operadoras Vivo, Brasil Telecom e Claro já fecharam com a Intellisync.

Toda a linha corporativa atual possui câmeras com pelo menos 2 megapixels de resolução, o que não ocorria na versão anterior. A mudança, segundo Pontes, aconteceu a pedido dos consumidores, e também porque “verificamos que apenas uma pequena parte das empresas efetivamente proibia câmeras em celulares corporativos”, e a câmera “pode ser desabilitada remotamente, pela internet, se assim desejar o gerenciador da rede.”

Anterior IPTV pode conquistar 100 milhões de assinantes
Próximos Para Acel, Fust poderia ser extinto.