Huawei e Nokia farão a nova rede de atacado compartilhada do México


Rede detida por um consórcio de investidores internacionais teve sua criação incentivada pelo governo para fazer frente à liderança da América Móvil no mercado local. Iniciativa pretende universalizar a banda larga no país.

altan-red-compatillada-mexico-videoAs fornecedoras de infraestrutura de telecomunicações Huawei e Nokia foram escolhidas pela ALTÁN Redes para construir a nova rede LTE, de escala nacional, no México. A chinesa fará a rede no centro e sul do país, enquanto a finlandesa, no norte. A Nokia também terá a responsabilidade de desenhar a rede inteira e entregar o núcleo de rede, o que faz desse o maior contrato em escala já conquistado pela empresa na América Latina.

Conhecido como Red Compartida no México, o Projeto de Rede Compartilhada fornecerá banda larga sem fio para 92% da população do México, a fim de reduzir o gap digital e de fortalecer a produtividade e a competitividade do país em serviços digitais.

O contrato com a Nokia inclui o provimento do núcleo da rede 100% virtualizado e 40% de RAN, IP backhaul, OSS e NOC. O pacote será implantado em cinco de nove regiões no México, incluindo-se Guadalajara e Monterrei, segunda e terceira maiores cidades do país respectivamente. O projeto inclui, ainda, uma gama completa de serviços que permitirá à Nokia realizar um projeto integral: aquisição de sites, construção, implantação, integração de redes, planejamento e otimização de redes, integração de sistema central (núcleo), operação, manutenção e serviços gerenciados.

A implementação, que utilizará a banda de frequência de 700 MHz, deve gerar eficiências operacionais, uma vez que requer uma menor quantidade de sites para atingir uma cobertura mais ampla. Trata-se de um projeto greenfield, desenhado para acolher e aplicar o estado da arte das tecnologias.

O Projeto de Rede Compartilhada é uma parceria público-privada internacional conduzida pelo Ministério das Comunicações e do Transporte do México (SCT) e pela Organização Promotora de Investimentos em Telecomunicações (PROMTEL), em coordenação com o Instituto Federal de Telecomunicações (IFT). O projeto vai gerar um investimento total de mais de US$7 bilhões em nove anos, montante financiado por investidores locais e internacionais.

Com esse projeto, o México passa a fazer parte do crescente número de países implementando redes na banda de frequência de 700 MHz. O contrato é, ainda, a primeira implantação da Nokia de um núcleo de rede 100% virtualizado na América Latina.

A ALTÁN Redes é uma nova operadora de atacado, financiada por investidores internacionais e vários acionistas mexicanos. O consórcio internacional ganhou a licitação destinada a construir e operar a Rede Compartilhada, que atuará como uma nova plataforma na implantação de serviços móveis e de Internet para operadoras de redes móveis já existentes (MNOs), tanto quanto para operadoras em redes móveis virtuais (MVNOs) existentes e novas, concorrendo com serviços da América Móvil.

A rede de próxima geração da ALTÁN terá condições de oferecer às empresas, por todo o país, uma conectividade onipresente em banda ultra larga sem fio, em gerenciamento de inscrições e dispositivos, segurança e análise de dados. Os benefícios da ampla gama de serviços conectados e de aplicações em IoT ‘over the network’ serão sentidos por empresas de todos os setores, e não apenas pelas operadoras, uma vez que a rede também servirá como plataforma de comunicações e serviços do governo como segurança pública, VoLTE e aplicações de IoT em serviços financeiros, saúde, energia e transporte.

Anterior Huawei se isola na liderança do mercado de infraestrutura
Próximos Oi reitera sustentabilidade das operações