No celular, TV a qualquer hora, em qualquer lugar.


A oferta de TV a cabo nos celulares estréia no próximo dia 1º de dezembro, primeiro no Reino Unido, depois nos outros 11 países onde atua a operadora exclusivamente 3G, 3 Group, marca comercial da Hutchison Telecommunications International, empresa do grupo coreano Hutchison Whampoa. A 3 anunciou ontem, 16 de novembro, em Londres, sua estratégia …

A oferta de TV a cabo nos celulares estréia no próximo dia 1º de dezembro, primeiro no Reino Unido, depois nos outros 11 países onde atua a operadora exclusivamente 3G, 3 Group, marca comercial da Hutchison Telecommunications International, empresa do grupo coreano Hutchison Whampoa. A 3 anunciou ontem, 16 de novembro, em Londres, sua estratégia de serviços móveis, o X-Series, que pretende prover serviços móveis em banda larga, com tarifas flat de acesso à internet, aproveitando as vantagens e facilidades da tecnologia HSPA (high-speed packet access), assim como as capacidades cada vez maiores dos dispositivos multimidia portáteis.

O lançamento foi apoiado pelo Skype, Yahoo, Google, e Microsoft, já que todos pretendem pular do desktop para a mobilidade, e pela Nokia e Sony Ericsson, que vêm no acesso flat rate um elemento essencial para estimular as vendas de seus telefones inteligentes (smartphones).

A facilidade estará ao alcance de qualquer usuário, desde que tenha o Slingbox e o respectivo software em casa. A aplicação Sling virá integrada em novos terminais celulares que funcionam em redes 3G, telefones que também possibilitam aos seus usuários assistir qualquer canal disponível na TV a cabo instalada na sua. Esses aparelhos têm, ainda, outras funcionalidades: controlar o gravador de vídeo digital (DVR) em casa, além de comandos de pausar e retrocedor em shows de TV ao vivo, previamente gravados, ou acionar o DVR para gravar um programa.

Primeiro, rejeição…

A parceria com a 3 é uma mão na roda para a Sling Media, cujo dispositivo começou a vender em 2005, mas foi muito mal visto pelo establishment. Porque o Slingbox é, ao mesmo tempo, um setop box de cabo e uma conexão em banda larga, e pode enviar vídeos ao vivo ou gravados pela internet para qualquer laptop ou handheld equipado com o software SlingPlayer.

Para especialistas, o dispositivo é o mais recente de uma série (entre eles o TiVo) que mudou o jeito de se assistir TV – esses equipamentos e software permitem assistir TV a qualquer hora, em qualquer lugar. No começo, redes de televisão e companhias cinematográficas não gostaram de ter seus conteúdos gravados, à diferença dos assinantes que pagam mensalidades para assistí-los. Mas essas empresas não demoraram a oferecer elas mesmas DVRs aos clientes.

A versão britância do Slingbox custará 180 libras (US$ 340), e os primeiros handsets carregados com o SlingPlayer serão o Nokia N73 e o Sony Ericsson w950i.

(Da Redação, com noticiário internacional)

Anterior A sueca TeliaSonera é fatiada em quatro unidades de negócios
Próximos Uma nova geopolítica na UIT