No acumulado do ano, lucro do Grupo Telefónica foi de 5,185 bilhões de euros.


Nos nove primeiros meses deste ano, o lucro líquido do Grupo Telefónica — que inclui operações em 13 países da América Latina, cinco da Europa e o Marrocos — somou 5,185 bilhões de euros, um crescimento de 59,4% se comparado com o lucro de 3,253 bilhões de euros obtido em igual período de 2005. O lucro básico por ação …

Nos nove primeiros meses deste ano, o lucro líquido do Grupo Telefónica — que inclui operações em 13 países da América Latina, cinco da Europa e o Marrocos — somou 5,185 bilhões de euros, um crescimento de 59,4% se comparado com o lucro de 3,253 bilhões de euros obtido em igual período de 2005. O lucro básico por ação do grupo 64% ano-a-ano, alcançando 1,091 euros por ação. O OIBDA (resultado operacional antes de amortizações) acumulado até setembro foi de 14,653 bilhões de euros, 35,9% superior ao registrado entre janeiro-setembro de 2005.

A margem OIBDA nos nove primeiros meses do ano ficou em 37,9% frente aos 39,9% há doze meses, a queda deveu-se principalmente à incorporação das novas companhias no âmbito de consolidação. O resultado operacional (OI) consolidado apresentou um crescimento ano-ano de 24,5% e totalizou 7,444 bilhões de euros até setembro.

A receita líquida do grupo atingiu 38,704 bilhões de euros, um crescimento de 43,1% em comparação com igual período de 2005. Entre os fatores que contribuíram para o aumento da receita, a companhia destaca as contribuições dos crescimentos da bases de clientes do Grupo O2 e da Telefônica Móviles e o aumento das vendas de banda larga na Espanha e América Latina.

A dívida financeira líquida do grupo situou-se, ao final de setembro, em 52,238 bilhões de euros. Com relação aos objetivos financeiros fixados para o exercício de 2006, o Grupo Telefônica espera que: o crescimento consolidado das receitas para 2006 se situe acima dos 37%, um aumento na projeção feita anteriormente quando a estimativa de crescimento era entre 34% ou 37%; o crescimento operacional fique entre 26% e 30% e que o CapEx se situe ao redor dos 7,2 bilhões de euros já anunciados antes.

Acessos

O grupo Telefónica encerrou setembro com 195,862 milhões de acessos totais (acessos clientes finais mais acessos atacado), um crescimento de 33,1% em relação ao número registrado entre janeiro e setembro de 2005, que foi de 147,110 milhões de acessos. “Cabe destacar o bom desempenho das campanhas comerciais do terceiro trimestre, que se caracterizam pela extensão da oferta de pacotes de produtos de voz, ADSL e TV”, explicou o grupo. Os acessos totais na Espanha totalizaram 43,3 milhões (crescimento de 5,3% ano-a-ano) 110,1 milhões na América Latina (crescimento de 17,3% ano-a-ano) e 38,2 milhões na Europa.

Até setembro de 2006, o grupo tinha 193,759 milhões de acessos para clientes finais (o que inclui telefonia fixa, dados internet, banda larga, celulares e TV paga), número 33,3% superior ao registrado entre janeiro e setembro de 2005.  Em comparação com 2005, de janeiro a setembro deste ano o número de acessos fixos do grupo cresceu apenas 4%, o de acessos a internet em banda larga cresceu 45% e o acesso com banda estreita teve uma queda de 15,4%. O crescimento do número de acessos celulares foi de 47,9%, passando de 93,581 milhões entre janeiro-setembro de 2005 para 138,443 milhões em igual período de 2006. Já o número de acessos de TV paga do grupo cresceu 62,2% passando de 543,3 mil para 881,4 mil.

Da Redação

Anterior News Corp de olho na China
Próximos Na França, em tese, a portabilidade numérica móvel deveria ter começado em 2003, mas...