Nextel vai pagar R$ 68 milhões, e não R$ 411, por frequência, decide Anatel


Logo NextelA Nextel, quinta operadora de celular brasileira, recebeu hoje, 19, uma boa notícia do Conselho Diretor da Anatel. Os dirigentes acataram parcialmente o seu recurso, contra a cobrança  sugeria pela área técnica de R$ 411 milhões para a adaptação das frequências que detinha para prestar o serviço de trunking (serviço de despacho móvel) ao serviço celular.

A Nextel migrou para a telefonia celular depois que foi descontinuada a tecnologia que usava com exclusividade na época da tecnologia analógica e que permitia os clientes falarem pelo aparelho móvel por rádio. A empresa comprou frequências de celular – como a de  1,8 GHz, e conseguiu a autorização da agência para também usar esse serviço nas suas faixas iniciais de trunking.

A operadora  alegava que o valor encontrado  pela área técnica era muito alto, e que, na verdade, se a Anatel considerasse o Valor Presente Líquido (VPL) iria constatar que essas frequências deveriam ser dadas de graça para si, já que esse VPL seria negativo.

O conselho diretor acompanhou o voto do conselheiro Leonardo de Morais, para quem deveria ser usada uma nova metodologia de cálculo do valor a ser cobrado pela União para a adaptação dos serviços, que levasse em consideração os critérios do PPDUR (tabela com o preço públicos de frequência).

Anterior Tarifa de assinatura do telefone fixo da Telefônica cai 2,6% a partir de maio
Próximos Adriana Coutinho Viali vai cuidar do corporativo da Oi