Nextel e Vivo fecham acordo para rede 3G


A NII Holdings, grupo que atua com a marca Nextel na telefonia móvel na América Latina, e a Telefónica fecharam um acordo para compartilhamento de rede 3G, no Brasil e no México, informaram as companhias em comunicado nesta segunda-feira (13). Com isso, a Nextel amplia a cobertura tanto de dados quanto em voz, na rede HSPA. A gestão das redes e do espectro das redes de cada uma das operadoras continuará a ser feito separadamente por cada uma das empresas. 

O acordo, frisou a NII Holdings em comunicado, dá sustentação à estratégia da companhia. A NII iniciou a implementação da sua rede 3G, no Brasil, por São Paulo e Rio de Janeiro, após uma série de portergações e atrasos. A operadora passou a prestar o serviço móvel pessoal (SMP) em janeiro de 2013 e, em novembro (último dado da Anatel disponível), contava com 255 mil acessos, menos de 1% do mercado brasileiro. 

Para a Vivo, o contrato permitirá implantar a rede “de modo mais eficiente”. Atualmente, a operadora tem a maior cobertura de 3G do país e o acordo com a Nextel pode ajudá-la a rentabilizar tal infraestrutura. “O anúncio demonstra o comprometimento de ambas as operadoras para criar um ambiente competitivo dinâmico, e é um passo natural na direção do processo de otimização das redes”, informaram as empresas em comunicado.

Apesar do acordo, a Nextel Brasil informou que continuará a expandir sua própria rede em concordância com as exigências regulatórias de cobertura determinadas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).


México

No México, o contrato comercial entre os grupos permitirá à Movistar, marca comercial da Telefónica no país, ampliar a capacidade de sua rede 3G, e apoiará a estratégia de atacado no país. O contrato permitirá à Nextel México expandir a cobertura atual de sua rede. O acordo “demonstra o comprometimento de ambas as companhias de prover serviços adicionais ao mercado de modo eficiente, em linha com os objetivos das iniciativas de reforma regulatória nas telecomunicações que estão atualmente sendo implementadas no México”, declaram as empresas.

“É mais um exemplo dos esforços da Telefónica para otimizar o uso de seus recursos, aprimorar a lucratividade de seus negócios e aumentar sua flexibilidade financeira,”, disse Santiago Fernández Valbuena, Presidente e CEO da Telefónica América Latina, em nota para a imprensa. (Da redação)
 

 

Anterior IPCA teve alta em 2013, mas despesas com comunicação ficaram bem abaixo.
Próximos MCTI reconhece como desenvolvidos no país produtos da Furukawa, Parks e Semp Toshiba.