Nextel encerra serviço de rádio em março


Operadora começa a avisar clientes que assinam o serviço de rádio iDEN que tecnologia será descontinuada em 31 de março de 2018. Recomenda a migração para planos móveis, com dados, e uso de aplicativo que simula o rádio por IP.

Logo Nextel

O serviço iDEN, popularmente conhecido como rádio, já tem data para desaparecer do cenário de telecomunicações brasileiro. A Nextel anunciou que vai desligar todas as estações de seu serviço de rádio em 31 de março de 2018. A empresa afirma que o investimento na tecnologia não compensa a baixa procura e custos de manutenção, e ressalta que o público migrou para smartphones e consumo de dados, embora ainda existam usuários fiéis do rádio.

“Os aparelhos, por exemplo, não são mais fabricados no Brasil e, devido ao baixo estoque de novos equipamentos disponíveis no mercado, a única forma de continuarmos a oferecê-los aos nossos clientes é por meio de recondicionamento”, diz, no comunicado.

A tecnologia iDEN foi, desde 1997, quando chegou ao Brasil, o carro chefe da Nextel. O serviço usa bandas menores do espectro, uma vez que a comunicação acontece de forma unidirecional. Com o crescimento do 3G, a operadora passou a perder clientes, que buscaram soluções com dados. Adotou, então, a estratégia de migrar para as novas tecnologias de redes móveis.

Migração 3G e 4G

A operadora afirma que o fim do serviço iDEN não afetará de forma alguma os usuários de telefonia celular tradicional (3G e 4G). Para aqueles que usam o serviço de rádio, sugere a migração para planos especiais, que levam em conta o uso do aplicativo PRIP, espécie de rádio sobre IP.

“A Nextel encerrará a oferta do serviço de rádio e dará início a um programa de migração das linhas SME para o Serviço Móvel Pessoal (SMP) – 3G/ 4G, seguindo as diretrizes previstas na Lei Geral de Telecomunicações (LGT) e no Código de Defesa do Consumidor”, afirma a operadora.

Em julho deste ano, de conforme dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), a Nextel tinha 2,5 milhões de clientes móveis. Ao final de junho, a operadora tinha pouco mais de 500 mil acessos iDEN em sua base, metade do mais de 1 milhão de assinantes do serviço em 2016. Em dificuldades financeiras, o controlador da operadora vendeu 30% da tele. Ainda este ano, pode finalizar a venda de outros 30%, o que transferirá o controle do grupo norte-americano NII para o escandinavo AINMT.

Anterior Oficializadas as nomeações para o Cade
Próximos Flávia Nassif vai comandar entrada da America Net no mercado de telefonia móvel

1 Comment

  1. Erick
    24 de outubro de 2017

    Melhor fosse a Nextel e Algar se fundirem e formarem a 5a forca da telefonia.