Netflix tem 18% do mercado de assinatura de streaming do país


A Netflix é o aplicativo mais usado do país por quem deseja assistir a conteúdo pago no Brasil. Mapeamento da consultoria Business Bureau indica que a plataforma tem 18% de fatia de mercado das OTTs de assinatura de streaming de vídeo.

O segundo colocado, Globo Play, fica muito atrás, respondendo por apenas 4% do mercado. Telecine Play e Sky Online têm cada, 3% do mercado. Os 72% restantes do mercado estão pulverizados em diferentes plataformas, que não chegam aos percentuais das maiores já mencionadas.

O mesmo levantamento indica que há no país 78 plataformas OTTs, capazes de transmitir 139 canais ao vivo, ou com repositórios de mais 72 mil filmes e 12,9 mil séries.

Com isso, o cenário brasileiro das OTTs pagas parece menos maduro que o mexicano. Lá, Netflix tem 20%, seguida de Claro Video, com 9%, e o restante das 94 plataformas OTT existentes possuem 71% do mercado.

Também Chile e Argentina têm mais plataformas em operação. São 88 no primeiro, e 99 no segundo. Em ambos, Netflix domina, com mais de 25% do mercado.

Na América Latina, há 253 plataformas OTTs em funcionamento, com 624 canais ao vivo, 294 mil filmes, 53,9 mil séries. O Netflix tem 18% do mercado, o Claro Vídeo, 4%, e HBO Go, 3%.

TV Paga

O Brasil continua a ser o país da América Latina com maior número de assinantes de TV. São 24,9 milhões, ante 22,4 milhões no México, ou 11 milhões na Argentina. Mas a penetração não chega perto da vista dos vizinhos. No México, a cifra é de 69%, e na Argentina, 78%. Na América Latina, são 90,26 milhões de assinantes de TV, e média de 51% de penetração.

Vale destacar que os dados diferem dos divulgados pela Anatel, uma vez que a consultoria também acrescenta OTTs, subnotificações por parte das empresas e estimativa de acessos piratas.

A pirataria no Brasil detém nada menos que 19% do mercado de TV por assinatura, pelos cálculos da consultoria – mais, portanto, que a Netflix. No México, equivale a 6%. Na Argentina, a 15%. Na média, na América Latina, a pirataria tem 13% do mercado.

O mapeamento pode ser visto aqui.

Anterior Quais metrópoles brasileiras têm LTE mais disponível?
Próximos Em tomada de subsídio, Anatel expõe entraves à IoT no Brasil

1 Comment

  1. reinaldo
    17 de setembro de 2018
    Responder

    A penetração do serviço de TV a cabo por aqui está bem baixa 39%, isso é horrível, a Venezuela está em 74%… Quando comparamos países, números absolutos não valem de nada isto é, os 24 milhões de assinantes são proporcionais aos do Peru, apróx. 3 milhões e 35%

    A pesquisa só demonstra o seguinte, a falta de poder aquisitivo do cidadão brasileiro frente a outros países, isso ainda é ratificado pela taxa de penetração versus pirataria… Tirando a Argentina onde a penetração do serviço de tv estava alta e a pirataria tbm, o restante foi assim…. Baixa taxa de penetração do serviço de TV quer dizer maior pirataria, ou seja… Quando teu cidadão não tem poder aquisitivo para consumir, ele vai para a pirataria.

    Outro detalhe, a moeda brasileira e a economia em geral é muito mais forte que dos irmãos da América Latino, será que isso reflete o preço dos impostos e sobretaxas aos serviços de tv?

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *