NET retoma venda do ponto extra a R$ 19,90, sem manutenção.


   A NET Serviços retomou ontem a venda do ponto extra, com duas diferenças: um novo nome (virá na conta como aluguel de equipamento adicional) e um novo preço, mais barato: ao invés dos R$ 24,90 cobrados, o ponto adicional voltou ao mercado por R$ 19,90 nas 90 cidades onde a operadora está presente. Segundo …

 

 A NET Serviços retomou ontem a venda do ponto extra, com duas diferenças: um novo nome (virá na conta como aluguel de equipamento adicional) e um novo preço, mais barato: ao invés dos R$ 24,90 cobrados, o ponto adicional voltou ao mercado por R$ 19,90 nas 90 cidades onde a operadora está presente. Segundo o presidente da empresa, Josá Antonio Félix, com essa medida a empresa está se enquadrando na determinação da Anatel, que proibiu a venda do ponto extra vinculada à programação. " Nós não estamos vendendo programação, mas tornando disponível o equipamento, para novos acessos", afirmou.

Seguno Félix, a diferença entre a nova postura da operadora e a anterior – quando questionava a decisão da Anatel e só tornava disponível o ponto adicional para o pacote mais caro da programação – é que a empresa se rendeu à decisão da agência. "Nós não queremos brigar com a Anatel", afirmou.

O executivo entende que este novo modelo de comercialização atende à regulamentação da agência, embora a cobrança continue a ser mensal, o que era o principal motivo de questionamento dos dirigentes da Anatel. Segundo Félix, a depreciação do equipamento não pode ser feita pelo usuário, visto que a NET continuará a se encarregar de manter a atualização tecnológica dos equipamentos entregues aos clientes. "O sonho da NET sempre foi o de o cliente comprar o seu próprio equipamento, pois liberaria muitos recursos nossos para investirmos em outros projetos. Mas, tudo o que o brasileiro não quer é comprar o seu equipamento", afirmou ele.

O executivo explicou que a empresa não apenas reduziu o preço do ponto extra,  ma irá também vender o equipamento à vista, para quem não quiser pagar a mensalidade. "Quem quiser compar o conversor por R$ 1.500,00, poderá fazê-lo", afirmou.

Conforme o presidente da operadora, para oferecer o ponto adicional a esse valor, o cliente não poderá contar com a manutenção da NET, que custará R$ 70,00 por visita. " Para nós, poderá ser melhor, pois o cliente pensará duas vezes antes de chamar o técnico para apenas acertar a imagem", completou.  Se o usuário quiser a manutenção da NET terá que pagar mais R$ 4,90. Ele discorda que a soma das duas propostas é equivalente ao valor anterior à decisão da Anatel. "Antes, cobrávamos os R$ 24,90 por cada ponto de TV da casa. Agora, a manutenção será cobrada uma única vez para todos os pontos da residência", afirmou.

A NET deixa de cobrar também o pay per view por ponto, liberando o pacote para todos os conversores instalados na residência, outra determinação que consta da norma da Anatel. "Demoramos para lançar essas medidas porque precisávamos adequar os nossos sistemas de informática", concluiu.  
  

Anterior Compra da BrT não concentra mercado de internet, avalia Fazenda.
Próximos Alberto Leite deixa a Supportcomm