NET aumenta investimentos e amplia parceria com a Embratel


 O bom desempenho da NET Serviços no terceiro trimestre do ano – que a colocou na terceira posição na oferta de  banda larga, desbancando a Oi, – já fez com que a empresa aumentasse também suas projeções de Capex para 2008. Os investimentos, que estavam previstos para R$ 700 milhões, chegarão a R$ 1 bilhão, …

 O bom desempenho da NET Serviços no terceiro trimestre do ano – que a colocou na terceira posição na oferta de  banda larga, desbancando a Oi, – já fez com que a empresa aumentasse também suas projeções de Capex para 2008. Os investimentos, que estavam previstos para R$ 700 milhões, chegarão a R$ 1 bilhão, conforme informou hoje o presidente da empresa, José Félix. E, segundo o executivo, são investimentos que não dependem do comportamento da economia do próximo ano, pois eles se referem a vendas já realizadas.

Durante a conferência com os jornalistas, Félix explicou  que a parceria com a Embratel, na oferta do serviços de voz, será ampliada para as pequenas e médias empresas que estiverem cobertas pela rede de cabo da empresa.

A empresa aguarda ainda a aprovação da Anatel (a última documentação solicitada foi enviada em agosto) para promover a reestruturação societária, de maneira a incorporar as 80 operadoras sob a holding. Com essa reestruturação, a NET pretende obter créditos fiscais referentes a R$ 891 milhões de prejuízos registrados no passado.

Satisfeito com os resultados (o prejuízo registrado de R$ 64 milhões foi contábil, devido à valorização do dólar), Félix ressaltou que a NET conquistou 4% da base de telefonia fixa  (com seus 1,53 milhão de clientes), e acredita que a empresa continuará crescendo independentemente da situação econômica do país.

Segundo ele, a mudança do Plano Geral de Outorgas (PGO), aprovada na semana passada pela Anatel, que permitirá a fusão da Oi com a BrT, não muda a estratégia da empresa, acostumada a competir com as incumbents de telefonia. “O monopólio no serviço de voz local continua.  E a NET é a única empresa que o ataca”, afirmou Félix, assinalando que a operadora está presente em apenas 79 cidades, enquanto as concessionárias de telefonia fixa atuam nos 5.500 municípios brasileiros.     

Anterior Mobilidade exige mudança de comportamento, diz executivo.
Próximos TIM leva clientes para Londres