Neo TV ainda vai avaliar impactos do acordo entre Globosat e Cade


A Neo TV (associação que reúne 54 operadoras independentes de TV paga) ainda irá analisar, com mais cautela, o impacto do acordo firmado entre a Globosat e o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) que acaba com a exclusividade na comercialização dos canais esportivos Sportv1 e Sportv 2 e dos jogos vendidos por pay-per view. …

A Neo TV (associação que reúne 54 operadoras independentes de TV paga) ainda irá analisar, com mais cautela, o impacto do acordo firmado entre a Globosat e o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) que acaba com a exclusividade na comercialização dos canais esportivos Sportv1 e Sportv 2 e dos jogos vendidos por pay-per view.
“Mas, de qualquer forma, ficou demonstrado que nosso pleito estava certo. Não há mais espaço para exclusividade na programação”, comentou a diretora-executiva da associação, Neusa Risette. Ela acompanhou a decisão do conselho hoje à tarde, em Brasília, e só tomou conhecimento do teor do acordo na hora de leitura do documento. “Não tivemos acesso ao conteúdo do acordo”, afirmou. Segundo o advogado da Neo TV, Fernando Marques, a associação solicitou várias vezes ao conselho participar da negociação, mas o pedido foi negado. Ele disse que essa postura contrariou precedentes do próprio Cade, que em acordos anteriores, de outros setores econômicos, permitiu o acompanhamento de todas as partes. “Foi uma decisão do conselheiro, não sabemos o porquê”, comentou.
Mas um ponto do acordo certamente desagradou a Neo TV. No pedido feito ao Cade, a associação solicitava o acesso apenas aos canais esportivos e era contrária à compra casada dos demais canais Globosat. Pelo acordo, as operadoras independentes terão que comprar o pacote Globosat completo, com os canais de esporte, mas também os canais Globo News, Multishow e GNT. O conselheiro Paulo Furquim afirmou que caso a Neo TV não concorde com os termos do acordo poderá acionar novamente qualquer um dos órgãos do Sistema Brasileiro de Defesa da Concorrência.

Anterior Globosat faz acordo com Cade para abrir venda de conteúdo esportivo
Próximos “É melhor um mau acordo, do que um bom litígio”, diz Globosat