Nasdaq tem alta um dia após volatilidade causada por guerra comercial entre EUA e China


A China anunciou ontem, 13, o aumento de tarifas para o comércio com os Estados Unidos. A medida foi uma retaliação ao aumento de tarifas praticado pelos EUA na sexta-feira de 10% para 25% sobre os produtos chineses. O mercado local reagiu a estes movimentos. A briga comercial entre os países fez o valor de empresas de tecnologia despencar.

O índice Nasdaq caiu 3,4%. A Apple foi uma das empresas mais voláteis. Caiu 5,8% ontem, uma vez que parte de seus produtos é feita na China. Hoje, no entanto, pareceu haver uma trégua. As ações se recuperaram, embora não totalmente. O índice Nasdaq subiu 1,14%. E a Apple se valorizou 1,58%.

Ainda é cedo para dizer, no entanto, se a recuperação de valor das empresas que compõem o índice Nasdaq será duradoura. Isso porque a visão entre analistas é que a elevação de tarifas demonstra uma escalada da guerra comercial entre EUA e China, sem perspectiva de arrefecimento, apesar do que diz o governo americano.

A guerra, por enquanto, parece desproporcional. O governo de Donald Trump aumentou tarifas sobre o equivalente a US$ 200 bilhões de importações. A China, sobre o equivalente a US$ 60 bilhões. Trump acena com possível aumento de tarifas sobre tudo o que for importado da China, e foi isso o que mais mexeu com o valor das ações.

Hoje, Trumpe procurou jogar água na fervura, afirmando que, embora as negociações até semana passada tenham sido infrutíferas, elas continuam e vão dar um bom resultado “muito antes do que muita gente pensa”. Em sua conta no Twitter, o presidente dos EUA afirmou que busca um acordo que não apenas faça sentido, mas que “seja um grande negócio”, caso contrário não há porque firmá-lo.

Anterior Falha de segurança no WhatsApp prejudica investigações da Lava Jato
Próximos Lucro da Algar telecom cai 21,6% no 1º tri