Claro só negocia com Simba se oferta não for o canal aberto


shutterstock_Angela Waye_TV_paga_TV_radiodifusao_conteudo_audiovisual

O presidente do grupo América Móvil, José Félix, disse hoje, 25, que as negociações com a Simba (joint-venture entre as emissoras de TV Record, SBT e RedeTV!) só poderão ser abertas quando a empresa que representa as emissoras deixar de querer vender os seus canais abertos. “Nós sempre estaremos dispostos a negociar. Mas quem mandou tirar os canais de nossa grade de programação foram eles”, afirmou o executivo.

Segundo Félix, não há hipótese de sua empresa considerar onerar o seu assinante para poder ter esses canais de volta em seu line up. “Nós não vamos pagar para ter canal aberto em nossa programação e não vamos onerar o nosso cliente para isso”, vaticinou, lembrando que o Brasil ainda passa por uma séria crise econômica e que o mercado de TV paga não cresce mais.

Para o executivo, as emissoras de TV poderiam propor novos arranjos em busca de um acordo. “Elas poderiam colocar o que têm de valor na mesa, como os seus comerciais”, observou. E defendeu que, agora, qualquer resultado de negociação terá como condição também contrato de longo prazo. Ele disse, contudo, que, por enquanto, está tudo parado, não havendo qualquer movimentação de nenhum dos dois lados em busca de uma saída.

Anterior Vivo ativa rede óptica em Volta Redonda
Próximos Reoneração da folha fará setor de telesserviços demitir 20% dos empregados

1 Comment

  1. Rogério Souza Ramos
    27 de Abril de 2017

    A discussão sobre a remuneração do conteúdo das emissoras de tv aberta pelas operadoras de paytv é recente no Brasil, mas, antiga nos USA. Lá, aonde impera o modelo de “retransmission consent” , as redes abertas recebem sim das operadoras um valor por assinante, mesmo existindo lá a transmissão aberta pelo ar como aqui. Aliás lá vem crescendo o movimento do “cord cutting” onde as pessoas estão cancelando a assinatura convencional de tv paga e substituindo pelos canais abertos + Netflix+ um Play qualquer de esportes. Isso lá é tendência e aqui não será diferente. Estranha somente a posição da Net em dizer que não aceita pagar pelos canais abertos quando já pagam para a Rede Globo e para a Band que corretamente recebem pelos direitos autorais de seus canais. Incoerente a posição deles, a não ser que estejam deixando de pagar a TV Globo e Band. Dúvido!