MWC: “Os Estados Unidos controlam a internet mundial”, acusa Bernardo.


O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, resolveu partir para o ataque para defender a posição do governo brasileiro, que assinou o tratado da União Internacional de Telecomunicações (UIT), apesar de mais de 50 países terem se recusado a fazê-lo (entre eles, os Estados Unidos e a Comunidade Europeia).

 

Segundo ele, a disputa que foi travada em Dubai, em dezembro do ano passado, não tinha nenhuma relação com a discussão da neutralidade da rede, a qual o governo brasileiro apoia, e muito menos uma disputa ideológica entre o “bem e o mal”. A disputa era econômica. “É um grande equívoco achar que quem garante a democracia no país é o Google”, disparou o ministro.

 

Segundo Bernardo, devido a essa “governança centralizada” o país gasta, por ano, US$ 500 milhões com as rotas internacionais da web, recursos que poderiam ficar na região, se se conseguisse colocar um PTT aqui. “A Europa conseguiu instalar o PTT dela”, alertou.

O ministro disse também apoiar os acordos firmados pelo Google e alguns países europeus, pelos quais o site de busca começou a remunerar os jornais e revistas.

Midia

Bernarndo reconheceu que o novo marco legal para as comunicações não foi prioridade do governo, mas não acha que a discussão está encerrada. Mas ressalta que qualquer que seja este novo marco, ele não irá nunca controlar o conteúdo do que é publicado.  

A jornalista viajou a convite da Alcatel-Lucen

Anterior Vale cultura poderá ser usado para TV por assinatura
Próximos Gemalto será fornecedora da China Unicom para pagamento com NFC