MWC: empresa nacional Titans estreia em Barcelona


Em meio as centenas de stands no Mobile World Congress, destaca-se uma empresa brasileira, instalada no hall 8 do maior congresso da indústria celular, que acontece em Barcelona. O Titans Group provê serviços e valor adicionado (SVA) para operadoras e provedores de internet em 17 países. No Brasil, tem negócios com as empresas do grupo América Móvel, com a Telefônica/Vivo e com a Oi.

A empresa, fundada em 2008 por André Andrade, desenvolve aplicativos para que os clientes das operadoras tenham acesso a diversos serviços colocados na nuvem, para a área de educação, de segurança de dados no PC ou no celular e para os serviços de help desk e call center. “Hoje já temos 10 milhões de clientes ativos, o que nos coloca como líderes de SVA na América Latina e estamos na feira buscando expansão para fora da região”, diz Andrade.

O diferencial do Titans Group está no modelo de negócio: ao invés de a operadora vender mais um serviço, ela passa a base de clientes potenciais para o Titans, que contrata um call center (já homologado pela operadora), para oferecer o serviço para o novo cliente. “É uma venda segmentada, não é um produto barato – o custo do serviço varia de 5 a 10 dólares dependendo do que o cliente contrata – por isso chamamos de serviço premium”, conta Andrade. A venda passa por uma auditoria e depois de concluída o serviço é integrado ao sistema de billing da operadora.

A empresa tem 120 funcionários no Brasil, 100 deles desenvolvedores. O primeiro serviço ofertado foi o de segurança para PC, que depois expandiu para segurança móvel, educação e outros. “É um serviço que gerencia a vida digital do cliente”, comenta o CEO, acrescentando que todas as informações podem ser acessadas via múltiplos devices (telefone, tablet) e com diferentes sistemas operacionais.

No stand, a empresa mostrou, além dos aplicativos para segurança e educação, uma solução para Mobile Health, que inclui um software para contagem de calorias por meio de foto, e a Internet das Coisas, uma API (Interface de Programação de Aplicativos) que permite o gerenciamento de objetos por meio da nuvem. (Da redação).

 

Anterior Fibras da Furukawa são reconhecidas como produtos desenvolvidos no país
Próximos MWC: múltiplas telas não canibalizam propaganda de TV, diz Nielsen