Mudança de cronograma do desligamento da TV analógica volta à estaca zero


As operadoras de telecomunciações e as emissoras de radiodifusão buscavam um acordo para a mudança do cronograma do desligamento da TV analógica, levando em consideração a proposta do governo de a data final para a conclusão do processo de digitalização será em 2018.

O ministro das Comunicações, Andre Figueiredo, chegou a afirmar durante o evento do IGV (Internet Governance Forum) que o governo já estudava mudança no calendários das cidades a serem desligadas em 2016, com a alteração  da data de Brasília, que seria em abril do próximo ano, a ser empurrada para depois das Olimpíadas, em setembro ou outubro.

As negociações pareciam caminhar bem, com as operadoras de celular alegando que o mais importante é não romper o contrato sobre o que foi comprado – e pago quase R$ 10 bilhões – a partir de 2018.

Os radiodifusores tinham proposto às teles que o desligamento em Brasília fosse adiado para outubro e antecipado o cronograma de entrada em operação do serviço de banda larga, que seria em abril de 2017, para novembro de 2016.

Mas, conforme fontes que participaram da reunião de hoje do Gired, as operadoras de celular resolveram não renegociar mais os novos prazos e manter o cronograma como inicialmente decidido, pois teriam constatado que não serão atingidos os 93% da residências com TV digital em nenhuma cidade do país.

Tudo indica que o ministro terá mesmo que arbitrar a questão.

Anterior Lucro líquido da Algar Telecom cresce 13% no trimestre
Próximos Receita e lucro da Cisco crescem no trimestre