Motorola passa a ser duas empresas em janeiro


O processo de divisão da Motorola em duas companhias, que estava previsto para o primeiro trimestre de 2011, já tem data estabelecida para acontecer: 4 de janeiro de 2011, conforme comunicado da companhia divulgado ontem. Nessa data, passam a existir a Motorola Solutions, que responderá pelas áreas de banda larga, mobilidade corporativa e segurança pública; e a Motorola Mobility, que responderá pelos produtos móveis, celulares e rádios iDEN (usados pela Nextel) e a área de home (equipamentos para TV digital, como set top box).

No Brasil, a Motorola Solutions será presidida por Eduardo Stefano, vice-presidente da Divisão de Soluções de Mobilidade para Governo e Empresas para Brasil e Cone Sul; e a Motorola Mobility será presidida por Paulo Freitas, que vai acumular a função com o comando da fábrica da Motorola em Jaguariúna, interior de São Paulo.

Área de redes

Simultaneamente à divisão, a Motorola está concluindo o processo de venda de sua área de redes para a Nokia Siemens Network. A transação, anunciada em julho, envolve a maior parte dos ativos da área de infraestrutura de redes sem-fio da Motorola por US$ 1,2 bilhão, em dinheiro. A expectativa é de que o negócio seja finalizado ainda este ano.

Como parte da transação, a Nokia Siemens Networks espera adquirir os relacionamentos já existentes com mais de 50 operadoras e fortalecer sua posição com a China Mobile, Clearwire, KDDI, Sprint, Verizon Wireless e Vodafone. A expectativa da companhia também é de, em termos de receita, se tornar a terceira maior fornecedora de infraestrutura sem-fio nos Estados Unidos e a maior em tecnologia sem-fio estrangeira do Japão, além de fortalecer sua atual segunda colocação no mercado global de infraestrutura.

A área de infraestrutura de redes da Motorola fornece produtos e serviços para redes sem-fio, incluindo GSM, CDMA, WCDMA, WiMAX e LTE. De acordo com a Motorola, essa área lidera o mercado de WiMAX, com 41 contratos em 21 países; atua fortemente em CDMA com 30 redes ativas em 22 países; e possui uma grande base de GSM instalada, com mais de 80 redes ativas em 66 países, além de uma base de negócios promissora em LTE.

Com a conclusão da transação, os 7,5 mil funcionários dessa área da Motorola devem ser transferidos para a Nokia Siemens Networks. O processo inclui centros de pesquisa e desenvolvimento nos Estados Unidos, China e Índia. (Da redação)

Anterior Mercado de terminação de chamada precisa de regulação de preços
Próximos Interurbanos da Embratel custam 0,66% mais