Motorola e Telefônica defendem uso imediato do WiMAX


Fabricante das duas tecnologias – LTE e WiMAX – a Motorola vê mercado para ambas no Brasil. Segundo o representante da empresa, José Geraldo Almeida, as maiores demandas do país é por banda larga fixa e móvel e TV paga. “O mercado de voz móvel e fixa está praticamente saturado”, avalia. Ele defendeu a divisão …

Fabricante das duas tecnologias – LTE e WiMAX – a Motorola vê mercado para ambas no Brasil. Segundo o representante da empresa, José Geraldo Almeida, as maiores demandas do país é por banda larga fixa e móvel e TV paga. “O mercado de voz móvel e fixa está praticamente saturado”, avalia. Ele defendeu a divisão da faixa de 2,5 GHz entre as duas tecnologias no seminário promovido pela Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara, sobre a destinação dessa faixa.

Segundo Almeida, tanto o WiMAX quanto LTE são altamente eficientes no uso do espectro e tem performance semelhante. A diferença que ele aponta é que o WiMAX está pronto para ser usado de imediato, enquanto o LTE somente será viável a partir de 2013.  

Testes

O diretor de Regulação da Telefônica, Marcos Bafutto, concorda com a posição do representante da Motorola. Ele disse que a operadora testou o uso do WiMAX com 134 usuários, em área de grande densidade, com muito sucesso. “A licença para o experimento acabou em abril e, na semana passada, entregamos o relatório com os resultados na Anatel”, informou.
 
De acordo com Bafutto, 85% dos usuários que experimentaram a tecnologia disseram que a indicariam e consideraram o produto robusto e os equipamentos compactos. “Enfim, é uma tecnologia que está pronta, disponível do mercado”, completou.

Anterior Anatel acertou ao reservar espectro para a 3G, reage Qualcomm.
Próximos Oi quer preço da 2,5 GHz semelhante ao pago pelas operadoras de MMDS