MMDS, sim. TV a cabo não.


 Não faz parte da estratégia do grupo Telefônica comprar licenças de TV a cabo, que serão licitadas pela Anatel no próximo ano. Mas, adquirir freqüências de MMDS (TV paga por microondas) é outra história, já que a operadora acredita ser essa uma boa alternativa para chegar ao usuário final. “A nossa aposta é na fibra …

 Não faz parte da estratégia do grupo Telefônica comprar licenças de TV a cabo, que serão licitadas pela Anatel no próximo ano. Mas, adquirir freqüências de MMDS (TV paga por microondas) é outra história, já que a operadora acredita ser essa uma boa alternativa para chegar ao usuário final. “A nossa aposta é na fibra óptica, que é muito mais eficaz do que o cabo”, afirmou o diretor-geral da operadora, Stael Prata.   

Segundo ele, embora a rede de TV a cabo seja bidirecional, ela é obrigada a compartilhar banda, o que faz com que a velocidade de transmissão de dados diminua. O que não acontece com a fibra óptica que chega até a casa do usuário. No caso do MMDS, no entanto, ele acredita que, essa tecnologia sem-fio, aliada a outras alternativas, podem auxiliar a interiorização da oferta de banda larga. 

Anterior É hora de rever a assimetria da VU-M, afirma Stael Prata.
Próximos Acel estima que telefonia móvel vá crescer 12% em 2008