Ministro não pensa em adiar consulta pública da concessão


O ministro das Comunicações, André Figueiredo, não pretende prorrogar o prazo da consulta pública lançada por seu ministério, e que termina em 23 de dezembro, sobre um novo marco legal para as concessões de telefonia.

“Acho muito ruim a gente ficar dando prazos e adiá-los. Se era para ser mais de 30 dias, o melhor seria ter definido isto antes”, afirmou. Ele disse que só aceitaria prorrogar o prazo se não fosse entregue o número de contribuições esperadas.

“Não vou dizer que é inadiável. Mas temos que correr, para que possamos acelerar, dentro do parlamento, a sua tramitação. “Cada mês que se perde  traz mais dificuldade para o processo de modernização e de revisão do marco regulatório”, completou.

O Comitê Gestor da Internet e o Conselho de Comunicação Social formalizaram pedido para a prorrogação do prazo da consulta pública.

Anterior Em evento da Abinee, Monteiro, do Mdic, defende respeito à Constituição.
Próximos Abinee lança em fevereiro Frente Parlamentar da indústria eletroeletrônica