Ministro diz que CEO da ICANN já fala em mudança na governança da internet


O presidente da ICANN (Internet Corporation for Assigned Names and Numbers), Fadi Chehadé, já admite iniciar debate sobre mudanças na governança da internet e quer a ajuda do governo brasileiro para isso. A informação é do ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, que recebeu o executivo ontem (7). “Ele veio nos procurar e disse que conversou com presidentes de vários países, da Estônia, Coreia, Alemanha e com a comissária europeia, Nelly Kroes, e todos eles citaram o discurso da presidente Dilma na ONU, que fala sobre o assunto”, disse o ministro.

Segundo Bernardo, o debate deve começar no próximo ano, mas as articulações devem começar logo. “É uma notável mudança no comportamento da ICANN, que não tinha se manifestado desse jeito anteriormente”, disse. O ministro afirmou que é isso que o Brasil defende e que vai colaborar com o debate.

Relatório

Bernardo não quis comentar o relatório divulgado ontem pela União Internacional de Telecomunicações (UIT), que aponta o serviço de telefonia móvel do país como o mais caro do mundo. “Eu soube do relatório pela imprensa e pedi para baixar a pesquisa; vamos fazer uma leitura dela”, disse.

De acordo com o ministro, a primeira impressão que se tem do relatório é de que a pesquisa é feita por meio dos sites das operadoras, sem levar em consideração as ofertas, os pacotes, facilidades nas ligações  on net. “Isso fragiliza um pouco o levantamento, mas como a gente ainda não olhou, vamos analisar antes de falar”, disse.

No final, o ministro disse que o relatório fala de coisas boas do Brasil, como o aumento das conexões, a redução do preço da banda larga e o aumento das velocidades.

Anterior Ampliação da área local deve ser tratada com cautela, defende Embratel.
Próximos Anúncio de votação da destinação da faixa de 700 MHz irrita radiodifusores