Ministério Público pede R$ 75 mi da Oi e Embratel para indenizar usuários no Pará


O Ministério Público Federal no Pará ajuizou processo contra a Oi e a Embratelpelo desrespeito ao direito dos usuários paraenses. As operadoras não cumpriram as metas de qualidade e universalização do serviço de telefonia fixa em boa parte do território estadual e agora podem ser obrigadas a indenizar os consumidores em R$ 75 milhões.

A Anatel também é ré na ação por não cumprir o papel de fiscalizar e  pode ser obrigada a tomar as medidas necessárias em favor dos consumidores que dependem das duas operadoras. O processo do MPF é baseado em fiscalizações da própria Anatel, que constataram descumprimento das metas em pelo menos 53 municípios paraenses.

Nesses locais, a Embratel e a Oi descumpriram pelo menos 11 metas de universalização e qualidade da telefonia. Os problemas encontrados – poucos telefones públicos, orelhões quebrados, demoras nos consertos tanto para aparelhos públicos quanto para residenciais, cobranças incorretas – já deveriam ter sido solucionados em todo o estado, de acordo com as normas que regulamentam o setor.

A ação do MPF tramita na 1ª Vara da Justiça Federal em Belém e vai ser apreciada pelo juiz Ronaldo Destêrro. Se ele conceder as solicitações do procurador em caráter urgente, Embratel e Oi podem ser obrigadas a apresentar, em 30 dias a contar da decisão, um plano estratégico para solucionar os problemas.(Da redação, com assessoria de imprensa)

Anterior Abinee diz que importações do Japão representam 5% do total do setor
Próximos Audiência pública sobre liberdade tarifária de DDI é encerrada sem manifestações