Minicom repassa R$ 100 milhões do Funttel para Finep


O Ministério das Comunicações repassou R$ 100 milhões à Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) que deverão ser emprestados a empresas com enfoque na inovação do setor. Os contratos que definem a transferência dos recursos foram assinados hoje (14), no Rio de Janeiro, pelo ministro Paulo Bernardo. A verba é proveniente do Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações (Funttel).
 
De acordo com o ministro, o setor de telecomunicações é prioritário no país e este é o momento certo de fomentar os projetos da área, já que o mercado interno está em expansão. “Nos últimos anos, o Brasil teve uma evolução socioeconômica importante, muitas pessoas conquistaram melhores condições e passaram a ser demandantes de serviços. Estamos em um momento extremamente promissor para o desenvolvimento das telecomunicações no Brasil”, disse.
 
Segundo ele, as condições em que os recursos serão emprestados às empresas são “diferenciadas e vão estimular o setor”. A Finep oferecerá o crédito com taxa referencial de juros mais 3,5% e prazos para pagamento que podem chegar a dez anos. “As taxas são boas e a empresa que receber os recursos tem condições de fato privilegiadas, até com melhores condições do que as praticadas pelo próprio governo em outras instâncias, como o BNDES”, acrescentou o ministro.
 
O superintendente da área de financiamento da Finep, Alexandre Barragat, destacou que o crédito vai fomentar a atividade de pequenas e médias empresas da cadeia produtiva do setor. Ele explicou que o valor mínimo para empréstimo, por proposta, é R$ 1 milhão. Já o máximo dependerá da capacidade de pagamento da empresa. Esse é o primeiro empréstimo do governo com recursos do Funttel para a Finep, embora a agência de fomento opere o fundo desde 2002 e já tenha movimentado cerca R$ 380 milhões em 98 operações reembolsáveis e não reembolsáveis. Dentre elas, está o apoio ao desenvolvimento da TV Digital e de equipamentos de rede desenvolvidos por empresas nacionais para serem utilizados pelas operadoras de telecomunicações.  (Fonte: Agência Brasil)

Anterior UMTS Forum recomenda faixas de 2,5 GHz e 700 MHz para ampliação da banda larga móvel no Brasil
Próximos Dilma e Obama vão firmar parceria para dados de governo