MiniCom quer implantar rede 4G até junho de 2013


O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, defende que a licitação da faixa de 2,5 GHz seja realizada até o primeiro semestre do ano que vem. Ele discutiu com representantes da ZTE a implantação da tecnologia 4G em dois anos. A ideia é oferecer esse serviço móvel avançado já na Copa das Confederações, que será realizada no Brasil em junho de 2013. As cidades atendidas, nesse primeiro momento, seriam as cinco capitais que vão servir de sede para as competições.

Segundo Paulo Bernardo, MiniCom e Anatel já estão discutindo a forma de implementar a tecnologia 4G no Brasil a tempo de usá-la durante a Copa do Mundo de 2014. A ideia é aproveitar a parceria com a  ZTE para adiantar esse cronograma. Paulo Bernardo afirmou que a meta do governo é licitar a frequência de 2,5 GHz até o primeiro semestre do ano que vem. Segundo ele, a faixa tem se mostrado a mais adequada para a implantação da tecnologia 4G.  A nova tecnologia trará para o consumidor velocidades muito maiores do que as da terceira geração de telefonia móvel (3G), disponível atualmente.

Banda larga

Além da preparação do país para a Copa do Mundo, a ZTE colocou-se à disposição do governo brasileiro para colaborar também no Programa Nacional de Banda Larga (PNBL), apoiando a Telebrás na construção de redes de fibra óptica.

Segundo o presidente da ZTE Brasil, Yuan Lie, o interesse é acelerar a implantação das novas tecnologias no país. Uma nova reunião ficou acertada com o presidente da Telebrás, Caio Bonilha. A estatal vai apresentar os projetos que estão sendo desenvolvidos dentro do PNBL e suas principais demandas, para que a empresa possa traçar sua proposta de parceria.

A empresa chinesa também está investindo na produção de equipamentos no Brasil. Em agosto a empresa vai começar a produzir tablets e celulares no Brasil. Segundo o presidente e fundador da ZTE, Hou Weiqui, o primeiro pacote de produção local desses equipamentos deve ser concluído em novembro.

Recentemente, a empresa comprou uma fábrica e um terreno no Brasil para a construção de um centro de pesquisa e desenvolvimento. Os investimentos totais previstos no país pela ZTE são de US$ 250 milhões.(Da redação, com assessoria de imprensa)

Anterior Pernambuco construirá cidade totalmente digital
Próximos Serpro vai antecipar migração de sites sensíveis para o IPv6