Minicom fala nesta terça, 6, em Encontro Tele.Síntese, do decreto que desonera M2M


O secretário de Telecomunicações, Maximiliano Martinhão, é um dos palestrantes para o Encontro Tele.Síntese, que vai discutir as aplicações M2M. O encontro, que será realizado amanhã, 6 de maio, em São Paulo, conta ainda com a participação de dirigentes das operadoras de celular e da indústria.

O secretário de Telecomunicações do Ministério das Comunicações, Maximiliano Martinhão, é um dos palestrantes confirmados no Encontro Tele.Síntese, que vai discutir as aplicações M2M. O encontro, que será realizado amanhã, 6 de maio, em São Paulo,  conta ainda com a participação de dirigentes das operadoras de celular e da indústria. Hoje, foi publicado o decreto de Dilma Rousseff que regulamenta a redução do Fistel (Fundo de Fiscalização das Telecomunicações) para as conexões M2M e esta regulamentação será o foco da apresentação de Martinhão, amanhã.

O evento começa às 8h30min, com o credenciamento. O primeiro painel, que vai debater as “Apostas e iniciativas dos players para promover a M2M” será iniciado às 9h30min. Participam também desta Mesa, Gilberto Miyahara, diretor de M2M – TIM Brasil; Jo Lindstad,  vice-presidente para Indústria e Sociedade da Ericsson Na América Latina; Marcelo Lubaszweski, presidente da Ceitec e do Forum Brasileiro Internet das Coisas; Oren Pinsky , diretor da Qualcomm América Latina; Renato Pasquini Gerente de Telecom para a AL da Frost & Sullivan.

O segundo painel, previsto para as 12h30min vai debater o M2M na vida das pessoas e das empresas. Estão confirmados, Daniel Fuchs, diretor de Inovação da Datora Telecom; Eduardo Takeshi, gerente de M2M da Telefônica/Vivo; Anderson André, diretor de Operadoras da Cisco do Brasil; Fernando Martins, diretor-executivo de Estratégia e Inovação da Intel Brasil; Rodrigo Maia, professora da  FEI; e Fabrício Zanini, do Instituto de Curitiba de Informática (ICI).

Informações com edna@momentoeditorial.com.br ou pelo fone (11) 3124 7444

Anterior Governo autoriza aumento de capital do Serpro em R$ 193 milhões
Próximos MiniCom vai pagar R$ 397,4 mil anuais por e-mail do Serpro