MinC, Ancine e BNDES darão R$ 146 milhões para digitalização das salas de cinema


A ministra da Cultura, Marta Suplicy, e o presidente da Ancine, Manoel Rangel, anunciaram, nesta quinta-feira (31) a criação de uma linha financeira do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) voltada para a digitalização das salas de cinema administradas por empresas brasileiras, no valor de R$ 140 milhões. Em ação complementar, um apoio não-reembolsável de até R$ 6 milhões será destinado à digitalização das salas de pequenos grupos exibidores.

Cerca de 1.400 exibidores brasileiros serão beneficiados pela linha de crédito, que estará disponível por dois anos ou até o esgotamento dos recursos disponíveis, o que ocorrer primeiro, informou a Ancine. Ao todo, atuam no Brasil 1.800 exibidores, dos quais 400 são estrangeiros.

Caberá ao BNDES operacionalizar o novo programa de crédito. “Somente 25% das salas são digitalizadas”, disse o diretor da Área Industrial e de Mercado de Capitais do banco, Julio Ramundo. Ele acrescentou que isso, no futuro, pode funcionar como uma barreira ao negócio da exibição cinematográfica. “A partir de 2015, não vão mais ser distribuídos os filmes no modelo tradicional de película [35 milímetros]. Então, é preciso que a gente acelere a digitalização das salas brasileiras”.(Da redação, com assessoria de imprensa)

Anterior Alcatel-Lucent constrói sistema de cabos submarinos de 100G da América Móvil
Próximos Eleição do representante dos trabalhadores no conselho da Telebras será dia 18