A Microsoft vendeu a fábrica que antes era da Nokia, em Manaus (AM), para a Flextronics. Com o negócio, cujo valor não foi revelado, a empresa deixa de ter presença na cidade. A Flextronics vai assumir a fabricação dos celulares da Microsoft a partir de janeiro de 2016, e vai continuar a fazer os videogames Xbox 360 e Xbox One.

A venda é resultado da reestruturação mundial da companhia fundada por Bill Gates. Em julho, o CEO, Satya Nadella, anunciou planos para redução de custos, que incluíam reavaliação contábil dos ativos adquiridos da Nokia ano passado e demissões. A Microsoft afirma que os funcionários de Manaus estão recebendo todo apoio necessário para o período de transição. No começo do ano, a Microsoft tinha cerca de 2,4 mil funcionários no Brasil. Não revela, com o fechamento da fábrica, quantos ainda têm.

“Como parte da reestruturação do negócio de dispositivos móveis anunciada anteriormente, a Microsoft tem procurado formas de aumentar a eficiência nas operações. Depois de uma profunda e minuciosa avaliação, e sujeita à aprovação regulatória final, a Microsoft decidiu contratar para a fabricação de Xbox e de smartphones no Brasil o nosso parceiro de negócios, a Flextronics, a partir de janeiro de 2016. O objetivo é que a Flextronics mantenha um nível semelhante de operações no Brasil”, diz a empresa, em nota ao Tele.Síntese.

Os cortes atingem o braço de responsabilidade social da Nokia, a Fundação Nokia, e o de pesquisa, INDT, que passou a se chamar apenas Instituto de Desenvolvimento Tecnológico no final de 2014. Desde então, recebem apoio da Microsoft para conquistar novos parcerias. A Fundação cancelou a seleção de novos candidatos em seus cursos de formação, indicando que não haverá criação de novas turmas no próximo ano.

“A Fundação Nokia e o INDT eram parte dos investimentos da fábrica. E por isso, com o apoio integral da Microsoft, a Fundação e o INDT estão a procura de outras frentes de financiamento. A Microsoft, no entanto, vai garantir que todos os alunos atualmente matriculados na Fundação Nokia finalizem o curso”, diz a companhia, que não detalha quantos alunos cursam ensino médio e técnico na instituição.