Microsoft quer 40% do mercado de sistemas operacionais móveis no país


A Microsoft trabalha para crescer no mercado de sistemas operacionais de consumo de massa, principalmente no mercado de telefonia móvel. Para o Brasil, a estratégia é conquistar de 30% a 40% do negócio com seu sistema Windows Mobile e para isso aposta em acordos com as fabricantes de telefones celulares, informou hoje (29) Henán Rincón, …

A Microsoft trabalha para crescer no mercado de sistemas operacionais de consumo de massa, principalmente no mercado de telefonia móvel. Para o Brasil, a estratégia é conquistar de 30% a 40% do negócio com seu sistema Windows Mobile e para isso aposta em acordos com as fabricantes de telefones celulares, informou hoje (29) Henán Rincón, vice-presidente da Microsoft para América Latina. “Em 10 anos todas as celulares terão smartphones, inclusive nos países da América Latina”, aposta Rincón.

Além da parceria com a HTC, fabricante de smartphones para os operadores móveis e principal distribuidora do sistema operacional compacto desenvolvido pela Microsoft para rodar em dispositivos móveis, a gigante de software já firmou acordos com quatro dos cinco grandes fabricantes de aparelhos celulares – LG, Samsung, Motorola e a Sony-Ericsson. No mercado mundial, o sistema já está em uso por 160 operadoras. A líder de mercado Nokia lidera o consórcio Symbian, que detém cerca de 70% do mercado global dos sistemas operacionais móveis.

O vice-presidente da Microsoft aposta também no crescimentos de sistemas para PCs. O mercado de computadores têm crescido em média 24% na América Latina, em razão da estabilização política e econômica nos países da região. “Teremos este ano 25 milhões de novos computadores no mercado latino-americano”, lembrou Rincón. Para servidores, a empresa trabalha com estimativa de crescimento do mercado de 17%.

Henán Rincón veio ao Brasil participar do lançamento nacional de novos produtos da Microsoft, que estarão disponíveis comercialmente neste primeiro semestre: o Windows Server 2008, o Visual Studio 2008 e o SQL Server 2008. As novas versões são voltadas para o mercado corporativo e de desenvolvedores e já tem entre seus usuários duas operadoras, a Embratel e a Claro.

Na apresentação, os executivos ressaltaram como principal característica do Windows Server 2008 a virtualização, tecnologia que permite melhor uso do hardware, otimizando a infra-estrutura, além de melhorar a disponibilidade do servidor. A companhia destacou que a tecnologia oferece múltiplas operações de sistemas funcionando em uma infra-estrutura virtual, inclusive com Linux e Solaris.

Multa

Para o vice-presidente da Microsoft para a América Latina, a multa imposta esta semana pela Comissão Européia (braço executivo da União Européia) à Microsoft é um assunto do passado, já resolvido. A companhia foi multada em US$ 1,35 bilhão por não cumprir sanções determinadas por violar leis antitruste do bloco de países da União Européia. Segundo Rincón, as sanções são de 2004, portanto, “a penalidade refere-se a questões passadas". A empresa argumenta, ainda, que a Comissão anunciou, em outubro de 2007, que a Microsoft atendeu totalmente a decisão de 2004, “então essas multas são sobre questões que foram resolvidas".

Indagado se a penalidade pode levar a mudanças na filosofia de negócios da empresa, Rincón afirmou que, para a Microsoft, inovação e desenvolvimento são coisas diferentes, sendo, inovação um assunto privado, e desenvolvimento, colaborativo.

Anterior WiMAX movimentará US$ 7,7 bilhões em 2011
Próximos Gartner escolhe brasileiro para dirigir escritórios da América do Sul