Microsoft investirá R$ 200 milhões para geração de conhecimento no Brasil


A Microsoft vai investir R$ 200 milhões nos próximos 3 a 4 anos no Brasil na instalação de um Laboratório de Tecnologia Avançada (ATL, na sigla em inglês), na criação de uma empresa de investimentos de risco, na instalação de uma aceleradora de startups e na criação de um centro de desenvolvimento da plataforma de busca da companhia, Bing. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (7) pelos presidentes da multinacional na América Latina, Hernán Rincón, e no Brasil, Michel Levy, em ato que contou com as presenças dos ministros da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp, e da Educação, Aloizio Mercadante.

Os empreendimentos vão funcionar no Rio, no prédio histórico do casarão do Barão de Mauá, que será restaurado pela companhia. Provisoriamente, as atividades serão desenvolvidas na universidade Estácio de Sá, que cedeu espaço à Microsoft. A geração de empregos de alta qualificação prevista é de 100 pessoas, entre cientistas, pesquisadores, desenvolvedores e empreendedores.

A expectativa da Microsoft é de acelerar 15 empresas por ano, cada uma com possibilidade de receber R$ 1 milhão. Já o ATL, quarto da empresa no mundo e primeiro da América Latina, será supervisionada pelo cientista-chefe da Microsoft Research, o brasileiro Henrique Malvar, e vai atuar com foco na ciência da computação, educação e pesquisa científica.

O ministro Marco Antonio Raupp disse que a vinda das unidades da Microsoft para o Brasil já é um resultado do programa TI Maior, lançado em setembro pelo governo, com o objetivo de incentivar a geração de conhecimentos no país. Já o ministro Aloizio Mercadante espera da companhia a produção de soluções tecnológicas para o aumento da qualidade da educação brasileira, especialmente para a sala de aula e para o ensino a distância que, na sua avaliação, precisa dar um salto no país.

O foco do centro de desenvolvimento para a plataforma de pesquisa Bing foi definido em função da existência de uma forte comunidade acadêmica brasileira nesta área. “Mas poderá mudar, de acordo com o surgimento de ideias”, explicou Levy.

Anterior Time Warner pode comprar TV no Brasil e em outros países da América Latina
Próximos Votação do Marco civil da Internet é adiada para semana que vem