Microsoft confirma corte de 18 mil funcionários


O CEO da Microsoft, Satya Nadella, confirmou por e-mail enviado aos funcionários que a empresa vai demitir 18 mil pessoas até junho de 2015. A medida, explica o executivo, será tomada como parte de uma reestruturação global motivada pela compra da divisão de aparelhos e serviços da Nokia, em abril.

Esta é a maior dispensa já realizada pela companhia desde sua fundação, em 1975. Após a fusão com a Nokia, estima-se que a empresa tivesse com 127 mil funcionários, dos quais, 30 mil vindos da Nokia. Aos menos 13 mil pessoas, afirma o CEO no e-mail, serão notificadas até dezembro.

Segundo comunicado da empresa, a maior parte das demissões acontecerá já neste ano. Ao menos 12,5 mil vagas foram cortadas por conta da aquisição, a fim de evitar duplicidade de funções. A restruturação custará entre US$ 1,1 bilhão e US$ 1,6 bilhão, diluídos pelos próximos quatro trimestres.

Nadella promete realizar uma dispensa transparente, e auxiliar os demissionários a buscar novas colações no mercado em algumas cidades. Segundo ele, o objetivo final é reduzir as “camadas de gerenciamento”, agilizando a tomada de decisão e fluxo de informações dentro da companhia. A subsidiária da empresa no Brasil não informou qual o tamanho do impacto da medida nas operações locais.

Android 
O CEO afirmou ainda, ao final do e-mail, que deve vai mexer  na estratégia em torno dos smartphones da companhia. Em primeiro lugar, o portfólio top de linha deverá apresentar inovações inéditas no mercado. “Planejamos mudar determinados produtos Nokia X e transformá-los em produtos Lumia, rodando Windows. Isto pavimentará nosso sucesso no mercado de smartphones de baixo custo”, escreve.

Em outro e-mail dirigido a todos os funcionários, Stephen Elop, vice-presidente, explica a nova estratégia da companhia. A intenção é focar em inovação para aparelhos com Windows Phone, ampliando o market share deste sistema operacional mobile. A empresa também quer focar esforços no sucesso da loja de aplicativos, desenvolvendo e trazendo desenvolvedores para a plataforma. A área OEM também é mencionada, especialmente em tablets – a companhia quer mais fornecedores e mais aparelhos no mercado. Arremata afirmando que pouca coisa muda nas áreas de hardware (Xbox e Surface), PPI e inovação.

 

 

Anterior Ascenty constrói seu quarto data center
Próximos TIM e ZTE planejam um centro de inovação no Brasil