Mercado pede queda de dirigentes da PT a diz que Previ saiu do negócio há tempos


O mercado já teria precificado a assembleia de amanhã (15), castigando os papéis da Oi e da PT, avaliando que a Rio Forte deverá “rolar”  o empréstimo contraído junto à Portugal Telecom por mais três meses, para não fazer o default completo da dívida. No front brasileiro, o movimento da Previ noticiado neste final de semana pela imprensa, de venda de ações da Oi, é analisado como a confirmação de que este poderoso fundo de pensão estatal não acompanhou o aumento de capital promovido pela Oi, que arrecadou R$ 8 bilhões.

No final de semana, a Previ informava que vendeu as ações que não estavam submetidas ao lock up (proibição de saída) do novo acordo de acionistas, que prevê a fusão da PT e da Oi, mas que agora está sendo questionado devido ao “empréstimo” de 1 bilhão de euros que a PT fez a um de seus controladores – a empresa Rio Forte, braço do grupo Espírito Santo e seu banco.

O problema é que, enquanto não for concluída a fusão das duas empresas – que agora corre risco – somente os bancos que fizeram o lançamento de ações no mercado para a captação da Oi sabem, com exatidão, quais são os sócios e as empresas que compararam as ações lançadas. E os contratos de “chinese wall” não permitem esta divulgação. Nem mesmo a Anatel teve acesso a essa informação.

Mas fontes próximas aos controladores informaram ao Tele.Síntese que a Previ não teria mesmo acompanhado o aumento de capital, que foi  confirmado pelos sócios privados – AG e LaFonte – e pelos estatais BNDES, Fundação Atlântico (BB), Petros e Funcef. A única resposta que ninguém tem é porque a Previ teria vendido suas ações pouco antes de estourar o escândalo do empréstimo da PT a seus controladores. Inside Information? Ou uma grande sensibilidade do fundo para se antecipar a problemas?

E amanhã, na assembleia da RioForte, o mercado vai saber o tamanho do problema a ser enfrentado pela Oi.

Por causa da contínua queda das ações da operadora brasileira (conforme cálculos dos bancos, ela perdeu R$ 4 bilhões de valor em uma semana) o mercado já lida com o pior cenário, de rolagem da dívida da PT. Mas ainda as demais hipóteses, mais otimistas, não foram de todo descartadas.

A melhor notícia seria a devolução do empréstimo à PT pela Rio Forte, cujo valor devido amanhã, é de 847 milhões de euros. Nesta hipótese mais otimista,   a vida das empresas ia seguir em frente, apenas com desconfiança dos investidores à prometida “governança corporativa” da Oi.

Se isto não acontecer, “não dá para desconsiderar que a Oi já pagou R$ 5,7 bilhões pela PT, dos quais R$ 3 bilhões não existem mais”, observa fonte. É por isso que o mercado não está satisfeito com o comunicado deste final de semana, no qual a PT informa a renúncia de Luís Pacheco de Melo ao cargo de vice-presidente do Conselho de Administração da PT Portugal Portugal SGPS.

O problema, apontam diferentes analistas, é que Pacheco continua como o CFO (diretor financeiro) da operadora portuguesa. “Não é possível que uma operação que representa 40% do valor de uma empresa seja decidida e ninguém seja responsável”, pondera um interlocutor. Cabeças precisam rolar, defendem os bancos.

Fusão

Embora especule-se que a fusão possa nem ser concretizada, as avaliações mais ponderadas são de que ela será concluída ( o que deve ocorrer até setembro ou outubro deste ano), mas em novas bases, onde os sócios nacionais passariam a ter maior participação na empresa que resultará desta fusão. Até porque, o aumento de capital foi promovido visando a fusão, e não seria crível haver a devolução do dinheiro captado.

A Oi tem alguns meses de fôlego, mas não muito tempo , apontam os interlocutores. Dos R$ 8 bilhões captados, R$ 4,5 bilhões, assinalam as fontes, voltaram para os controladores privados – AG e La Fonte-,  ficando no caixa da empresa R$ 3,5 bilhões.  Sua dívida líquida é de R$ 30 bilhões,  e a corporação paga cerca de R$ 2,4 bilhões para rolar esta dívida anualmente.  Com um EBITDA de R$ 8 bilhões, tem fôlego para continuar tocando o dia a dia. Mas precisa de mais recursos e de mais credibilidade, abalada com todo o escândalo.

 

 

Anterior Neutralidade deve valer para banda larga fixa e móvel, defendem empresas de internet nos EUA
Próximos Slim não quer mexicano comprando ativos da América Móvil